Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Aluno > IFG > Últimas notícias > “Precisamos ressignificar o conceito de negritude”, afirma professora Luciene de Oliveira Dias
Início do conteúdo da página
Simpeex

“Precisamos ressignificar o conceito de negritude”, afirma professora Luciene de Oliveira Dias

Questões relacionadas à Política de Igualdade Étnico-Racial do IFG, reflexão sobre conceitos e ações nessa área foram discutidas

Palestra reúne gestores, membros da CPPIR, estudantes no Simpeex
Palestra reúne gestores, membros da CPPIR, estudantes no Simpeex

                 Palestra sobre Formação para servidores em relações étnico-raciais realizada na manhã de hoje, 10, no Simpósio de Pesquisa, Ensino e Extensão (Simpeex) do IFG debateu importantes assuntos que permeiam a luta contra o preconceito, a reflexão sobre os significados de conceitos sobre o assunto, política de ações afirmativas, além de formas de agir quando se fala em política de igualdade étnico-racial. Na ocasião, também foi lançada no Câmpus Aparecida a Rede de Servidores de Educação para relações étnico-raciais do IFG.

                Professora da Universidade Federal de Goiás (UFG), Luciene de Oliveira Dias, foi a palestrante. Ela defende que é preciso trabalhar as questões étnico-raciais a “partir dos coletivos de estudantes, fortalecer esses coletivos e pautar. Passar a existir a partir desses lugares. Precisamos ressignificar o conceito de negritude”, afirma a professora. Ela cita o Coletivo de Mulheres Negras Dandara do Cerrado como um importante instrumento nessa luta.

                A professora defende ainda que as ações afirmativas não são apenas para negros, deficientes e pobres, mas são para “pluralizar o espaço e talvez construirmos uma sociedade que respeite as diferenças”, diz. Um dos caminhos apontados por Luciene nas instituições públicas de ensino é institucionalizar as ações, como realizar cursos de formação de professores (como já ocorre na UFG). Junto com a professora Luciene, na mesa, estava também a professora do IFG – Câmpus Jataí Camila Leopoldina.  

 

Rede

“A Rede quer aproximar a comunidade, ouvir os seus anseios e implementar ações”, finaliza a professora Ádria.

                A manhã de hoje também foi marcada pelo lançamento da Rede de Servidores de Educação para relações étnico-raciais do IFG e também a realização da 3ª reunião da Comissão de implementação de políticas de igualdade étnico-raciais da Instituição.

                A Comissão, conta professora Ádria Borges, que também é uma das coordenadoras da Comissão Permanente de Implementação de Políticas de Igualdade Étnico-raciais (CPPIR), possui um plano de trabalho com várias ações previstas. Uma das mais importantes nesse momento, segundo Ádria, é a discussão sobre a posição da Comissão dentro da Instituição, debate que deve ser levado ao Congresso Institucional para ser contemplado no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

Além disso, outras ações estão previstas: aumentar a rede de servidores, realizar cursos de formação para professores na área de relações étnico-raciais, ampliar a discussão, inserir o assunto como parte do ensino e/ou disciplina em cursos, realizar mais eventos na área, garantir fomento na pesquisa, com editais específicos sobre igualdade étnico-racial, entre outros. Atualmente, as professoras Ádria (Cidade de Goiás), Camila (Jataí) e  Jaqueline Pereira de Oliveira Vilasboas (Aparecida) estão a frente desse trabalho na comissão. 

                A palestra contou ainda com a presença da pró-reitora de Ensino, Oneida Cristina Gomes Barcelos Irigon, gestores, servidores e estudantes.

 

Acompanhe mais informações sobre o Simpeex 2017

Conferência, música e lançamento do Repositório Digital do IFG marcam abertura do Simpeex

Palestra promove reflexão sobre Educação Integral e Politecnia no primeiro dia do Simpeex

Veja as fotos em nosso álbum do facebook.

Veja a programação completa.

 

Extensão

Na roda de conversa Extensão, Atitude e ousadia: o desafio político da educação e sua interface social, ocorrida na tarde de hoje, 10, a equipe da Pró-reitoria de Extensão (Proex) conduziu conversa sobre os desafios que extensão funciona, englobando seu conceito, dificuldades, possibilidades de acertos e perspectivas no IFG.

Pró-reitor da pasta, professor Daniel Silva Barbosa afirma que mesmo com todos os problemas, questões ligadas ao orçamento, que emperram muitas vezes a continuidade de projetos e trabalhos, questões estruturais internas, nada disso pode fazer com que as ações não sejam realizadas com que os projetos deixem de ser realizados, que a extensão deixe de alcançar seu objetivo, que é atingir o público externo. “Se o público não é externo, não é extensão, não adianta”, defende. Ele ainda ressalta a necessidade de haver diálogo entre as diferentes áreas, que perpassa pelo ensino, pela pesquisa e pela extensão, que uma complementa a outra.

A professora Janira Sodré, do Câmpus Goiânia, afirma que pensar extensão é “pensar a ideia em que a instituição pública é estendida para a sociedade, é entender a extensão como instituição educativa. Não pode haver formação sem pensar em ensino, pesquisa e extensão juntos”, afirma a professora, que ressalta ainda: “O papel da extensão é fortalecer a sociedade civil. Atendimento, serviços e capacitação são formas de promover a extensão, que é muito maior que isso, ela tem que se articular com o desenvolvimento social e econômico da região”, finaliza.

O técnico em Assuntos Educacionais da Proex, Vinícius Duarte Ferreira, afirma que a equipe da pró-reitora se pauta pelo marco regulatório que versa sobre educação popular, na implementação de ações e programas de extensão no IFG, pois ainda não existe uma lei de extensão finalizada e aprovada.

O diretor de Ações Sociais, Constantino Isidoro Filho, e a coordenadora Executiva da Proex, Flávia de Barros Vianna Sgarbi de Castro, também participaram da roda de conversa, além de servidores de diferentes câmpus.

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria/Equipe de Comunicação Oficial do Simpeex 2017.

 

 

 

 

 

Notícias (Aluno)

Fim do conteúdo da página