Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Aluno > IFG > Últimas notícias > Dos olhares da dança à poesia no chão da escola, oficinas do Festival vão movimentar Itumbiara
Início do conteúdo da página
XIV Festival de Artes

Dos olhares da dança à poesia no chão da escola, oficinas do Festival vão movimentar Itumbiara

Inscrições são gratuitas e podem ser feitas até dia 3 de novembro

Toda a comunidade goiana, principalmente da cidade de Itumbiara, terá oportunidade de se capacitar, aprender, trocar conhecimento e se divertir nas 31 oficinas do XIV Festival de Artes de Goiás, que ocorrerá de 7 a 10 de novembro, no câmpus do IFG e em vários espaços públicos da cidade no interior de Goiás.

 

Inscrições

 Os interessados têm até dia 3 de novembro para se inscreverem nas oficinas. É preciso ficar atento que algumas delas são de um dia e outras são sequenciais. A inscrição é feita exclusivamente pela internet, no link: https://sugep.ifg.edu.br/eventos/#/eventos/inscricao/934b7d61-2fd6-4ea8-8025-c214d9747e36

As oficinas são divididas pelas áreas artísticas, como: dança, artes visuais, teatro, audiovisual, literatura, interartes e música.

 

Na dança, serão cinco oficinas voltadas para toda a comunidade: Olhares Dançantes; Corpo, Protesto e Movimento; Ritmos, corpo e movimento: danças urbanas, latinas, orientais e africanas; Danças Urbanas e Samba e Forró. Nas artes visuais, o público terá oportunidade de aprender sobre Pixel Arte, Fotografia, Arte Têxtil – Tricô, Aquarela do Barro, Bonecas, Gravuras Peculiares, Modelagem em Cerâmica, Resíduos do Cerrado, Máscaras Africanas em argila e Oficina de Stencil. As oficinas de Teatro – Professor Encantador e Teatro do Oprimido – serão voltadas, principalmente, para professores. 

Já as oficinas de audiovisual vão explorar técnicas de animação em Stop-Motion e Vídeo Expressão, sendo que esse último vai orientar e ensinar métodos de filmagem, roteirização e realização de vídeos através do celular, e inspirar novas criações por métodos acessíveis. Na Literatura, serão duas oficinas: Literatura e Refugiados e Catando Poesia no Chão da Escola, cuja proposta desta última é transformar a leitura de poesias em cenas; criar e dar vida à personagens com suas palavras e versos, trabalhar o corpo através da vivência de teatralidades observadas na leitura e interpretação de textos poéticos. “Um convite ao aluno do ensino médio ocupar espaços dentro da escola de uma maneira criativa e expressiva e ao mesmo tempo perceber que isso pode ser uma atividade agradável e que lhe traz conhecimento de si e dos outros e de uma visão de mundo através da poesia e do teatro”, diz o ministrante e professor Gleuter Alves Guimarães. Ele é professor da rede estadual de Minas Gerais, licenciado em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e mestre em Artes/Teatro pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

 

Música e Interartes

Na Música, serão duas oficinas: O Ritmo e o Sentido na Percepção Musical e a Clarineta como expressão na criatividade. Entre as oficinas interartes, estão: Laboratório de projetos culturais, Workshop para professores, Cidade como Lugar, Criarte: Dialética entre Jogos Vorazes e a Realidade; Oficina de Perna de Pau; Parangolés e penetráveis – uma homenagem a Hélio Oiticica. Para ministrar a oficina em homenagem a Hélio Oiticica, foi convidada a professora Andréa Falcão. Formada em História da Arte e Educação pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), ela é mestre em Memória Social, pela UNIRIO, doutora em Antropologia e Ciências Sociais, pela UERJ. Iniciou sua vida profissional como professora de artes plásticas e diretora de arte em agências de publicidade. Trabalhou como freelancer dirigindo e escrevendo roteiros para vídeos comerciais e institucionais para diversas empresas. Em paralelo, desenvolveu trabalho artístico experimental em vídeo com o qual participou de diversos festivais e exposições de arte no Brasil e no exterior. Foi professora de Livre expressão artística ‐ Multimídia no curso de Desenho Industrial da PUC‐RJ, além de consultora e pesquisadora de programas para a TV Brasil e TV Globo. A proposta da oficina, segundo Andrea, é “sensibilizar os participantes para as qualidades estéticas e plásticas do Movimento Tropicalista, que este ano comemora 50 anos, tendo como referência dois elementos centrais da obra de Hélio Oiticica – os parangolés e os penetráveis. Durante o trabalho os participantes serão convidados a criar a partir dos materiais oferecidos seus próprios elementos e depois interagir com eles explorando as possibilidades plásticas e de movimento dos objetos criados”, finaliza.

Nove oficinas são destinadas, principalmente, aos professores de arte, do IFG, bem como das redes municipais e estaduais de ensino de Itumbiara. São elas: Workshop - O In/visível, no corpo, dança, teatro; Vídeo Expressão; Modelagem em Cerâmica; Professor; Encantador; Resíduos do Cerrado; Bonecos da Diversidade Cultural; Gravuras Peculiares; Parangolés e Penetráveis - Uma Homenagem a Hélio Oiticica e Teatro do Oprimido.

           

Mais informações sobre o Festival de Artes, acesse a página do evento.

Veja o resumo de cada oficina.

Veja o quadro de oficinas com horários e locais de realização.

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

Notícias (Aluno)

Fim do conteúdo da página