Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
MÚSICA

A música goiana em seis cordas - Recital de violão solo de Vinicius Hipólito

Criado: Terça, 13 de Agosto de 2019, 21h22 | Última atualização em Terça, 10 de Setembro de 2019, 09h02

Vinicius se apresenta em violão solo nos dias 29 e 30 deste mês, em Goiânia.

 

 Foi iniciada em Goiânia, no último sábado, a série de apresentações do recital de violão solo A Música Goiana em Seis Cordas, realizado pelo músico e professor do Câmpus Formosa do IFG, Vinicius Hipólito.   O projeto, que busca retratar, a partir de obras musicais, a história da música goiana do período final do século XIX até a atualidade, é apoiado pela Lei de Incentivo à Cultura de Goiânia e  contará com mais  três apresentações até o início de setembro.  

 O recital é o produto final da pesquisa iniciada por Vinicius em 2016 no programa de pós-graduação da Universidade Federal de Goiás (UFG). O objetivo da pesquisa foi desvelar a trajetória do violão solista  em Goiânia, apontando obras, compositores e pedagogos que vieram a contribuir para a consolidação dessa modalidade artística.

 A partir da apresentação do repertório, composto por 13 peças, será exposta a trajetória da música goiana, englobando tanto composições da música instrumental, quanto da música cantata. Foram  selecionadas algumas obras de relevantes artistas que atuaram em Goiás, como a do autor da primeira obra para violão registrada em partitura no estado de Goiás, Odilon Kneipp Fleury Curado; e do intérprete e compositor que alcançou considerável relevância no cenário artístico goianiense e nacional durante o século XX, Sebastião Martins de Oliveira. 

Estércio Marquez Cunha também foi lembrado, já que se trata de um compositor, ainda em atividade, de grande importância no campo da música de concerto; assim como José Bonifácio e Joaquim Santana , autores de canções como Noites Goianas, música que acabou por se tornar um dos símbolos do Estado.

O trabalho envolvido na realização destes recitais compreende a interpretação de obras já publicadas em partituras, bem como a realização de transcrições de peças que até então não continham registros grafados e, por fim, a produção de arranjos musicais.

 

O recital será apresentado em mais três oportunidades, duas delas abertas ao público:

 Apresentações

- IFG - Instituto Federal de Goiás - Campus Goiânia
29/08 - 19 hrs

- Livraria Palavrear
30/08 - 18:00 hrs

- UFG - Universidade Federal (Campus2)
03/09 - 09:00

 

Fim do conteúdo da página