Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Solidariedade

Servidores e alunos do IFG Câmpus Valparaíso participam de coleta de sangue para banco de doadores de médula óssea

Publicado: Terça, 30 de Abril de 2019, 23h02 | Última atualização em Quarta, 01 de Maio de 2019, 08h58

Para aqueles que se interessarem sobre o tema, acesse: http://redome.inca.gov.br/

imagem sem descrição.

Nessa segunda-feira,29, alunos e servidores do Instituto Federal de Goiás (IFG) Câmpus Valparaíso participaram de campanha de doação de médula óssea e visitaram a Fundação Hemocentro de Brasília. A ação “Solidariedade- Estamos juntos com quem precisa. Campanha de Doação de Médula Óssea do Câmpus Valparaíso” contou com diversas atividades durante o mês de abril: palestras, entrevistas e vídeos. Na visita ao Hemocentro, foram realizadas coletas de sangue para  o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) e, também, alguns dos voluntários realizaram doação de sangue.


Doação de médula óssea
Para ser doador de médula óssea, é necessário ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado de saúde. Existem dois métodos de doação: coleta por aférese, o doador faz uso de medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar a quantidade de células-tronco. Depois é realizada a doação via coleta de sangue (uma máquina faz a separação dos elementos do sangue que não é necessário). O outro é um procedimento cirúrgico, que leva anestesia. A médula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. Segundo informações do Redome, a médula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Quem determina qual dos dois métodos será utilizado é o médico.

 

Uma das alunas a participar da ida ao Hemocentro de Brasília, nessa segunda-feira, foi Juscilene de Oliveira, do curso técnico integrado em Eletrotécnica- EJA. Juscilene conta que a palestra, a qual ela assistiu no Instituto devido à campanha, foi o que a incentivou a participar do cadastro, sobre a atitude e disponibilidade de ajuda, reflete: "Hoje, não é a gente que precisa, mas amanhã quem sabe?".

 

A técnico-administrativa Márcia Rosa cedeu uma amostra de sangue  para o cadastro no banco de dados de médula óssea, sobre o assunto, destaca: "A questão é fazer o bem para o próximo, é auxiliar, é ajudar". Adauto do Carmo é motorista do Câmpus Valparaíso e aproveitou a campanha para doar sangue e participar do cadastro de doadores de médula óssea. Ele conta que apesar de ser doador de sangue desde 1994, ainda não tinha se candidatado ao cadastro por não conhecer sobre o assunto. As atividades realizadas no Câmpus, neste último mês, foi um fator decisivo para sua escolha: "A palestra do IFG me esclareceu sobre o tema, e me ajudou a conscientizar da necessidade de participar".


Acesse logo abaixo os vídeos produzidos pelo IFG Câmpus Valparaíso durante a campanha:
Vídeo 1-entrevista com a chefe do Núcleo de Captação de Doadores do Hemocentro de Brasília, Ana Gabriela Fernandes
Vídeo 2- depoimento do André Teixeira, doador de médula óssea em 2013
Vídeo 3- entrevista com a Drª Andresa Lima, hematologista com especialização em transplante de médula óssea

 

Para mais informações, acesse: http://redome.inca.gov.br/

 


Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Valparaíso

Fim do conteúdo da página