Apresentação do Câmpus Goiânia

  • Imprimir

Contatos:

Endereço do câmpus: Rua 75. nº 46. Centro, Goiânia, Goiás.

CEP: 74055-120

Fone: (62) 3227-2700

 

Endereço do novo prédio anexo: Rua 75. Q.101, Lt. 50, Setor Central, Goiânia, Goiás.

Fone do prédio anexo: (62) 3227-2744

Vista aérea do Câmpus Goiânia. 

O Câmpus Goiânia é uma unidade do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) - criado pela Lei Federal nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. O IFG é uma autarquia federal detentora de autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar, equiparado às universidades federais.

O Câmpus Goiânia oferece educação básica, superior, pluricurricular, especializada na oferta de educação profissional, tecnológica e gratuita em diferentes modalidades de ensino, tendo por finalidade formar e qualificar profissionais para os diversos setores da economia, bem como realizar pesquisas e promover o desenvolvimento tecnológico de novos processos, produtos e serviços, em estreita articulação com os setores produtivos e com a sociedade, oferecendo mecanismos para a educação continuada.

A Instituição oferece desde educação integrada ao ensino médio à pós-graduação. Na educação superior, conta com cursos de mestrado profissional, especializações lato sensu, bacharelados, licenciaturas e superiores em tecnologia. Na educação profissional técnica de nível médio, atua nas modalidades subsequente e integrada, atendendo também ao público de jovens e adultos, por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA). São ofertados ainda cursos de extensão, de Formação Inicial e Continuada (FIC) e cursos de educação a distância (EAD).

Assista ao vídeo institucional do Câmpus Goiânia do IFG.


 

Fachada da Escola Técnica Federal de Goiás.

1909 - Escola de Aprendizes Artífices
1942 - Escola Técnica de Goiânia
1965 - Escola Técnica Federal de Goiás
1999 - Cefet-GO
2008 - IFG

O passado histórico da Instituição, do que hoje é o Câmpus Goiânia, se relaciona com a criação da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, que tem origem em 23 de setembro de 1909, com a criação da Escola de Aprendizes Artífices pelo então presidente Nilo Peçanha. Por meio do Decreto nº 7.566/1909, foram criadas 19 Escolas de Aprendizes Artífices no país, uma em cada Estado. Em Goiás, foi instaurada a Escola de Aprendizes Artífices na antiga capital do Estado, Vila Boa, atualmente cidade de Goiás.

O estabelecimento da unidade de ensino em Goiânia só aconteceu em 1942, com a construção e transferência da capital do Estado para Goiânia. Momento em que a Escola de Aprendizes Artífices foi transferida para a nova capital e transformou-se em Escola Técnica de Goiânia (ETG), por meio de Decreto nº 4.127, de 25 de fevereiro de 1942. Na época, o prédio da ETG foi utilizado para as festividades de lançamento da nova capital durante o Batismo Cultural de Goiânia, em 5 de julho de 1942. Data que marca, portanto, a inauguração do prédio da ETG em Goiânia.

Em virtude de grande parte das festividades do Batismo Cultural de Goiânia terem ocorrido no prédio da Escola Técnica, o funcionamento letivo da ETG foi adiado, sendo que as aulas começaram apenas em março de 1943. No início, a ETG possuía turmas do ginásio industrial, na modalidade internato e semi-internato para alunos do sexo masculino. Os primeiros cursos ofertados na ETG eram Alfaiataria, Artes do Couro, Mecânica de Máquinas, Marcenaria, Rádio e Comunicação, e Tipografia e Encadernação.

Em 1947, foi realizada seleção para os recém-criados cursos técnicos na ETG: Edificações, Eletrotécnica e a Construção de Máquinas e Motores e não havia mais restrição para estudantes do sexo feminino na escola. Em 1959, houve a implementação de uma nova organização escolar e administrativa nos estabelecimentos de ensino industrial, com a transformação das Escolas Industriais e Técnicas em autarquias federais, por meio da Lei nº 3.522/1959.

Em 1965, a ETG passou a denominar-se Escola Técnica Federal de Goiás (ETFG), com a Lei nº 4.759, de 20 de agosto. Nesse período, o ensino ETFG estava organizada em quatro modalidades: ginásio industrial, colégio técnico industrial, aprendizagem industrial, cursos técnicos na área industrial e cursos intensivos de preparação de mão de obra industrial.

Em 22 de março de 1999, por meio de Decreto sem número, a ETFG foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (Cefet-GO), passando a atuar, além do ensino técnico, também no nível superior, especialmente, com a oferta de cursos tecnológicos.

Em 29 de dezembro de 2008, com a Lei nº 11.892, foram criados 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) em todo o país, entre esses, o Instituto Federal de Goiás (IFG), que, hoje, possui 14 câmpus distribuídos em Goiânia e no interior do Estado. Entre esses, o mais antigo é o Câmpus Goiânia.

O Câmpus Goiânia é a maior unidade do IFG e oferece atualmente 32 cursos, sendo 15 cursos superiores (bacharelados e licenciaturas), 7 cursos técnicos integrados ao ensino médio, 3 cursos técnicos integrados na modalidade de educação de jovens e adultos (EJA), 3 cursos técnicos subsequentes, além de 3 cursos de especialização e um mestrado profissional ( Saiba mais sobre os cursos do Câmpus Goiânia).


Pórtico construído especialmente para a Exposição Cultural Econômica de Goiânia, em 1942.

Além de ser palco histórico do Batismo Cultural, o que chamamos hoje de Câmpus Goiânia do Instituto Federal de Goiás (IFG) faz parte da memória arquitetônica de Goiânia. Em 2003, parte de sua estrutura foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) - Portaria nº 507, como um bem isolado e edifício público que compõe o acervo arquitetônico e urbanístico Art Déco da cidade de Goiânia. O tombamento se deu na época em que a Instituição era chamada de Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (CEFET – GO), mas refere-se a edificações erguidas na época em que era Escola Técnica de Goiânia e, depois, Escola Técnica Federal de Goiás. Além do pórtico alusivo ao Batismo Cultural de Goiânia, outros espaços também foram tombados pelo IPHAN.

Saiba mais sobre a campanha permanente de preservação do patrimônio Eu Curto e Cuido no Câmpus Goiânia

 

Patrimônio cultural material do Estado de Goiás

No perímetro da área de tombamento da Instituição está inclusa toda a Quadra 118, entre as ruas 75, 66, 79 e 62, no setor Central. Dentro do IFG, os seguintes espaços físicos foram tombados: o pórtico; o pavilhão com as salas de aula do bloco 100, voltado para Rua 75; o Teatro do IFG; o pavilhão com as salas de aula do bloco 200. 

Além do tombamento junto ao IPHAN, em 2003, o edifício e o terreno da Escola Técnica Federal de Goiás foram tombados, anteriormente, pelo Governo do Estado de Goiás, a cargo da Fundação Cultural Pedro Ludovico Teixeira, como um dos 24 bens culturais materiais de Goiânia, conforme Decreto nº 4.943, de 31 de agosto de 1998.

Assista ao vídeo sobre o patrimônio arquitetônico e urbanístico do Câmpus Goiânia do IFG.


  

Vista aérea do Câmpus Goiânia do IFG, instituído em 2008.

Com 32.780,43 m² de construção, o Câmpus Goiânia conta com uma estrutura completa, visando proporcionar uma excelente formação profissional e humana aos alunos. No câmpus, há diversos espaços, como: laboratórios, salas de aulas, ginásio poliesportivo, biblioteca, teatro, cinemateca, miniauditório, miniginásio, sala de ginástica, laboratório gastronômico e salas para atendimento médico, odontológico e psicológico aos estudantes. 


A Capital do estado abriga o maior câmpus do Instituto Federal de Goiás: o Câmpus Goiânia. Além dele, há também o Câmpus Goiânia Oeste  e a Reitoria e mais 12 unidades instaladas no interior do estado.

 Nosso endereço: Rua 75, nº 46, Centro. CEP: 74055-110. Goiânia, Goiás.

Confira a localização do Câmpus Goiânia na capital. 

  Prédio anexo ao câmpus: Rua 75, Qd. 101, Lt. 50, Centro. Goiânia, Goiás.

Acesse a localização do Prédio Anexo I.

Veja a localização dos espaços físicos do Câmpus Goiânia

 


O Câmpus Goiânia funciona nos seguintes dias e horários, exceto feriados:

     Segunda a sexta-feira: das 6h às 23h
     Sábado: das 6h às 18h

O acesso aos finais de semana e feriados ou em horários fora do expediente regular somente será efetuado com autorização da Direção-Geral, da Diretoria de Administração ou da Gerência de Apoio Administrativo e Manutenção do Câmpus Goiânia e das Gerências competentes. 

Consulte aqui o Memorando - Circular nº 002/2018, que dispõe sobre o acesso às dependências do Câmpus Goiânia em horários fora do expediente regular.

Baixe aqui a solicitação de autorização para acesso às dependências do Câmpus Goiânia fora do expediente regular