Portal do Governo Brasileiro
  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Página Inicial

Extensão

Imprimir

IFG participa de discussões sobre formas de implementar alimentação escolar

A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica se reuniu em Brasília na última quinta, 8, e sexta-feira, 9, para discutir estratégias de fortalecimento e implementação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Do IFG, participaram do evento o pró-reitor de Administração, Ubaldo Eleutério da Silva, o coordenador de Aquisições e Contratos da Reitoria, Diego Silva Xavier, e as nutricionistas da Pró-reitoria de Extensão, Denise Cândido Gonçalves e Renata David de Moraes.

Representantes dos institutos federais de todas as regiões do país levaram ao Ministério da Educação e ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) os principais gargalos enfrentados na execução do programa, que é adotado em toda a rede para os cursos técnicos de nível médio, assim como ocorre na educação básica.

“A formação de hábitos alimentares saudáveis, por meio da educação alimentar e nutricional, é a meta do Ministério da Educação, e temos a obrigação de fortalecer, apoiar e fomentar esta ação, que resultará no desenvolvimento social do nosso país”, explica o diretor de Desenvolvimento da Rede Federal do MEC, Romero Filho.

Considerado um dos maiores programas na área de alimentação escolar do mundo, o Pnae estimula a produção agrícola local e a agricultura familiar de forma sustentável e promove a formação de hábitos alimentares saudáveis por meio da Educação Alimentar Nutricional (EAN). “O Pnae é um programa que hoje alcança toda a educação básica da rede pública, mas as escolas ainda encontram algumas dificuldades em sua implantação”, explica a coordenadora do programa no FNDE, Manuelita Falcão Brito.

Ela ressalta a importância de reuniões como essa. “Esse tipo de encontro ajuda a esclarecer dúvidas, a buscar soluções e dar encaminhamento para algumas questões que no dia a dia se mostram mais complexas”.

 

Assessoria de Comunicação Social do MEC.