Projetos e Programas

  • Imprimir
Criado: Quarta, 16 de Março de 2016, 11h37 | Última atualização em Sexta, 07 de Agosto de 2020, 18h55

Os Projetos e Programas desenvolvidos pela Pró-reitoria de Ensino (Proen) objetivam a permanência e êxitos dos acadêmicos dos IFG, bem como a troca de experiências que contribuam com o percurso formativo.  

 

São desenvolvidos atualmente os projetos e programas de Monitoria, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), Programa de Mobilidade Acadêmica (PMIpes-GO), Programa de Educação Tutorial (PET), Programa de Residência Pedagógica e Formação EJA (Formação inicial e continuada integrada ao Ensino Fundamental na modalidade de Educação de Jovens e Adultos das Redes Municipais de Ensino de Goiás).

 


Programa de Monitoria

O programa de monitoria do IFG constitui-se em um instrumento da política de fortalecimento do processo ensino-aprendizagem e integra as ações de apoio às atividades acadêmicas e de estímulo à permanência e êxito do educando.

 Acesse os Editais de monitoria ofertadas pelos Câmpus do IFG.

 

 

 

 

 Consulte também a Instrução Normativa e os modelos de editais para Monitoria Voluntaria e Remunerada


Bolsas de Iniciação à Docência 

Acesse mais informações e todos os documentos e relatórios do PIBID. 

 

 Acesse os editais de seleção do PIBID

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/IFG) é fruto de uma parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que financia bolsas em cinco modalidades:

 

  • iniciação à docência (para estudantes de licenciatura);
  • supervisão (para professores das escolas parceiras);
  • coordenação de área (professor da licenciatura, responsável pelo subprojeto);
  • coordenação de gestão de processos educacionais (professor da licenciatura, responsável pelo acompanhamento da execução dos subprojetos);
  • coordenação institucional (professor da licenciatura, responsável pelo projeto institucional).

 

Este Programa tem por objetivo contribuir com a interação entre os cursos de licenciatura do IFG e as escolas públicas de Educação Básica, aumentando o nível de articulação entre eles.

 Acesse mais informações e todos os documentos e relatórios do PIBID. 

 

Contato:

Coordenadora - Janaina Cristina de Jesus (Professora EBTT)
e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


Programa de Mobilidade Acadêmica (PMIPES-GO)

 

O Programa IPES-GO de Mobilidade Acadêmica é resultante de um Acordo de Cooperação celebrado entre as Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de Goiás (IPES-GO), com vistas a propiciar aos estudantes de graduação do IFG, Instituto Federal Goiano (IF Goiano), Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Universidade Federal de Goiás (UFG), regularmente matriculados, a possibilidade de cursarem componentes curriculares, de seu curso, em instituição diferente da sua de origem por até dois semestres letivos consecutivos.

 Solicitação de Participação no PMIPES-GO (doc 93 KB)

 

Solicitação de Prorrogação da Participação no PMIPES-GO (doc 105 KB)

 

Acordo de Cooperação do PMIPES-GO (pdf 62 KB)

 

Condições de participação­­

Alunos do IFG

O primeiro passo é se certificar de que a IPES para a qual deseja ir oferece o mesmo curso que o seu e se as disciplinas que quer cursar são equivalentes (carga horária e ementa). Também é importante informar-se com a coordenação do curso de destino se essas disciplinas serão ofertadas no semestre subsequente ao da inscrição no programa, além de receber daquela o ementário previsto no projeto de curso, que irá subsidiar a coordenação no IFG a deliberar quais serão as disciplinas a serem solicitadas;

 

O interessado tem que se dirigir à coordenação do seu curso no IFG para preencher com seu coordenador o formulário de solicitação da participação no Programa IPES-GO. O rol de disciplinas, contido no formulário de solicitação, deverá ser articulado pelo estudante sob orientação direta da coordenação, a fim de que as disciplinas cursadas durante a mobilidade sejam aproveitadas em sua totalidade após o retorno;

 

O coordenador de curso analisa o pedido observando se este atende ao disposto no §1 da Cláusula Segunda do Acordo de Cooperação e ao Projeto Pedagógico do Curso, no que tange aos seguintes aspectos:

- a conclusão de pelo menos 20% (vinte por cento) da carga horária de integralização do curso de origem e ocorrência de, no máximo, duas reprovações acumuladas nos dois períodos letivos anteriores ao pedido de mobilidade;

- a compatibilidade das disciplinas solicitadas tendo em vista o posterior aproveitamento.

 

Após essa cuidadosa análise, encaminhe o processo, via protocolo, à coordenadora Institucional do PMIPES-GO no IFG com a referida solicitação acompanhada da documentação descrita no próprio formulário (cópia dos documentos pessoais, histórico escolar original (com assinatura da Corae), carta de responsabilidade e ementário das disciplinas cursadas até o presente semestre);

 

Você deverá aguardar resposta da IPES receptora; à sua chegada, tanto em caso positivo como negativo, você e o seu coordenador serão informados pela Coordenação Institucional.
Você também será informado pela Coordenação Institucional do IFG sobre o período de matrícula a ser realizada na IPES receptora;

 

Todas as ações têm prazos que, se não cumpridos, acarretarão no indeferimento automático do seu pedido.

 

Alunos de outras IPES-GO

 

O aluno oriundo de outra IPES-GO deverá realizar as mesmas ações descritas acima na sua coordenação de curso. O seu pedido será enviado à coordenação Institucional da sua Instituição, que o encaminhará ao IFG para encaminhamento à coordenação de curso receptora. Havendo o aceite ou não, você será informado; em caso positivo, o seu pedido será devolvido à sua coordenação para ciência. No aceite, você será informado pela coordenação do curso receptor sobre o período de matrícula a ser realizada no IFG.

 

Todas as ações têm prazos que, se não cumpridos, acarretarão no indeferimento automático do seu pedido.

 

 

Importante

- A participação no programa conta como tempo de integralização curricular, ou seja, o prazo para terminar o curso permanece inalterado;

- A participação no programa impede de cursar concomitantemente o seu curso, isto é, durante os períodos de mobilidade, você poderá cursar as disciplinas somente na IPES receptora;

- A participação não exime da responsabilidade de renovar o vínculo com o IFG a cada semestre letivo, no período de renovação de matrícula previsto no calendário acadêmico;

- Ao se comprometer com o programa, o solicitante coloca-se na posição de inteira responsabilidade de comunicação com a coordenação do IFG, com a coordenação receptora e a coordenação institucional;

- Ao término do programa, é necessário que o histórico escolar e outros documentos emitidos pela IPES receptora sejam arrolados ao processo e que este seja tramitado corretamente, a fim de inserção do aproveitamento e do correto arquivamento.

 

Formulários

Solicitação de Participação no PMIPES-GO (doc 93 KB)

Solicitação de Prorrogação da Participação no PMIPES-GO (doc 105 KB)

Acordo de Cooperação do PMIPES-GO (pdf 62 KB)

 

Coordenação Institucional do PMIPES-GO no IFG

Contato:

Leonilson Rocha dos Santos

e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(62) 3612-2230


Programação de Educação Tutorial (PET)

O Programa é vinculado à Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC/ SESu) e promove a formação ampla e de qualidade dos alunos de graduação envolvidos direta e indiretamente com o programa. 

 Acesse os Editais de seleção do PET-IFG

O principal objetivo é despertar o interesse e elevar a qualidade da formação acadêmica dos alunos do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal de Goiás (IFG), estimulando a fixação dos conhecimentos teóricos e práticos, que permitam a abordagem na área de Ensino, Pesquisa e Extensão, através da contextualização da Química às ações de Educação, Ambiente e Sociedade. O atual “PET Química: Educação, Ambiente e Sociedade” é desenvolvido por grupos de estudantes do curso de Licenciatura em Química.

 

Conheça as atribuições dos alunos participantes do programa:

  • Dedicar-se, em tempo integral, às atividades do curso de graduação e do Programa de Educação Tutorial, com carga horária mínima de 20 horas semanais e não receber qualquer outro tipo de bolsa.
  • Cumprir as exigências estabelecidas no Termo de Compromisso;Fazer referência à sua condição de bolsista do PET nas publicações e trabalhos apresentados;Publicar ou apresentar, em evento de natureza científica, um trabalho acadêmico por ano, individualmente ou em grupo;
  • Apresentar excelente rendimento acadêmico avaliado pelo tutor;
  • Manter bom rendimento no curso de graduação;Participar, durante a sua permanência no PET, de atividades de ensino, pesquisa e extensão;
  • Participar de todas as atividades programadas pelo grupo;
  • Zelar pela qualidade acadêmica do PET.

 

Programa de Residência Pedagógica

O Programa

O Programa de Residência Pedagógica é uma das ações que integram a Política Nacional de Formação de Professores e tem por objetivo induzir o aperfeiçoamento da formação prática nos cursos de licenciatura, promovendo a imersão do licenciando na escola de educação básica, a partir da segunda metade de seu curso.

Essa imersão deve contemplar, entre outras atividades, regência de sala de aula e intervenção pedagógica, acompanhadas por um professor da escola com experiência na área de ensino do licenciando e orientada por um docente da sua Instituição Formadora.

A Residência Pedagógica, articulada aos demais programas da Capes compõem a Política Nacional, tem como premissas básicas o entendimento de que a formação de professores nos cursos de licenciatura deve assegurar aos seus egressos, habilidades e competências que lhes permitam realizar um ensino de qualidade nas escolas de educação básica.

 

Relatórios de atividades

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA - RELATÓRIO PARCIAL – 2018/2

Objetivos

  • Aperfeiçoar a formação dos discentes de cursos de licenciatura, por meio do desenvolvimento de projetos que fortaleçam o campo da prática e conduzam o licenciando a exercitar de forma ativa a relação entre teoria e prática profissional docente, utilizando coleta de dados e diagnóstico sobre o ensino e a aprendizagem escolar, entre outras didáticas e metodologias;
  • Induzir a reformulação da formação prática nos cursos de licenciatura, tendo por base a experiência da residência pedagógica;
  • Fortalecer, ampliar e consolidar a relação entre a IES e a escola, promovendo sinergia entre a entidade que forma e a que recebe o egresso da licenciatura e estimulando o protagonismo das redes de ensino na formação de professores;
  • Promover a adequação dos currículos e propostas pedagógicas dos cursos de formação inicial de professores da educação básica às orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

 

Como funciona

As IES serão selecionadas por meio de Edital público nacional para apresentarem projetos institucionais de residência pedagógica.

O Programa será desenvolvido em regime de colaboração com as Secretarias Estaduais e Municipais de Educação. Assim, as Intuições de Ensino Superior participantes deverão organizar seus projetos Institucionais em estreita articulação com a proposta pedagógica das redes de ensino que receberão os seus licenciandos.

O regime de colaboração será efetivado por meio da formalização de Acordo de Cooperação Técnica (ACT) firmado entre o Governo Federal, por meio da Capes e o os estados, por intermédio das secretarias de educação de estado ou órgão equivalente. A participação do governo municipal se efetivará por meio de Termo de Adesão ao ACT, firmado por suas secretarias de educação.

 

Modalidades de bolsa

No Programa de Residência Pedagógica serão concedidas as seguintes modalidades de bolsa:

Residente: para discentes com matrícula ativa em curso de licenciatura que tenham cursado o mínimo de 50% do curso ou que estejam cursando a partir do 5º período, no valor de R$400,00 (quatrocentos reais);

Coordenador Institucional: para docente da IES responsável pelo projeto institucional de Residência Pedagógica, no valor de R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais);

Docente Orientador: para o docente que orientará o estágio dos residentes estabelecendo a relação entre teoria e prática, no valor R$1.400,00 (um mil e quatrocentos reais);

Preceptor: para o professor da escola de educação básica que acompanhará os residentes na escola-campo, no valor de R$ 765,00 (setecentos e sessenta e cinco reais).

 

Contatos:

Coordenadora Geral - Dayanna Pereira dos Santos (Professora EBTT)
e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 


 

 

Notícias publicadas: 

1) Projeto Formação EJA seleciona colaboradores internos   | (30/6/2020) 

2) Inscrições para seleção da banca de examinadores do Projeto Formação EJA encerram-se no dia 16  | (13/7/2020) 

3)  Resultado final da seleção para banca examinadora do Projeto Formação EJA é divulgado | (23/07/2020)

4) Resultado final da seleção do Projeto Formação EJA é divulgado | 7/82020

 

 

Comunicados:

1) Resultado preliminar Projeto Formação EJA | Banca examinadora | (20/7/2020)

2) Resultado preliminar do Projeto Formação EJA | Seleção de colaboradores | (5/7/2020)

 

 O Projeto:

O Projeto “Formação inicial e continuada integrada ao Ensino Fundamental na modalidade de Educação de Jovens e Adultos das Redes Municipais de Ensino de Goiás” foi selecionado pela SEB/MEC e SETEC/MEC, a partir de uma proposta encaminhada pela pró-reitora de Ensino, Oneida Irigon. Essa proposta tinha como objetivo efetivar, juntamente com outros onze Institutos Federais, o Projeto Básico para Desenvolvimento de Ações para Implementação da Política de Educação de Jovens e Adultos (EJA) Integrada à Educação Profissional.

O Projeto, que possui recursos oriundos do Termo de Execução Descentralizada n. 8620 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE),  além de visar à oferta de cursos de Formação Continuada para os servidores do IFG e para os professores das Redes Municipais de Goiás, ainda tem como objetivo ofertar cursos FIC integrados ao Ensino Fundamental (anos finais) para os estudantes da EJA, conforme parceria com as Prefeituras/Secretarias Municipais de Ensino que aderirem ao Projeto, de acordo com os eixos tecnológicos do IFG e as demandas das regiões locais.

Com esse conjunto de ações, a Pró-Reitoria de Ensino (PROEN) atua na promoção, na integração e na verticalização da educação básica à educação profissional, tendo em vista a possibilidade de ampliação das matrículas da EJA no Ensino Médio (EM) na forma integrada à educação profissional. Ademais, a parceria entre SEB/MEC, SETEC/MEC, Institutos Federais e Munícipios, com essa integração para garantir a oferta de cursos proposta, constitui-se como estratégia significativa para uma articulação mais eficaz no avanço rumo a uma educação pública, laica, gratuita e de qualidade socialmente referenciada.

A formação se divide em duas partes: uma é destinada aos profissionais da Educação e possui carga horária de 340h com previsão de início em agosto de 2020 e término em setembro de 2021; a outra, com carga horária entre 160h a 240h, com previsão de início em fevereiro de 2021 a outubro de 2021, é focada nos estudantes do Ensino Fundamental da EJA. A metodologia híbrida, com encontros síncronos e assíncronos, será a forma de trabalho predominante. Assim, serão ofertadas para cada público 120 e 300 vagas, respectivamente.

Dúvidas e pedidos de informações sobre o Projeto Formação EJA podem ser encaminhados para o e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .