Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Professores de Biologia do Câmpus Aparecida mostram importância de recursos alternativos de ensino, em publicação da Editora IFG
Início do conteúdo da página
Ensino

Professores de Biologia do Câmpus Aparecida mostram importância de recursos alternativos de ensino, em publicação da Editora IFG

Criado: Sexta, 31 de Março de 2017, 12h23 | Última atualização em Quinta, 20 de Abril de 2017, 12h32

O trabalho sobre Modelos Didáticos Alternativos é fruto de Projeto de Iniciação Científica no Ensino Médio

A utilização de diferentes estratégias para aperfeiçoar o ensino no ambiente escolar é assunto abordado em artigo escrito por quatro professores de Biologia do IFG – Câmpus Aparecida de Goiânia, na primeira edição da série de publicações “Cognoscere: cadernos temáticos de pesquisa do IFG”, intitulada “Ensino de Ciências e Matemática”. Os professores Joana Cristina Neves de Menezes Faria, Luiz Fernando Nunes Rocha, Marlei de Fátima Pereira e Rodrigo da Silva Santos são autores do artigo “Modelos Didáticos Alternativos para a socialização no ensino de Biologia”. Na mesma publicação, a professora Joana assina também o artigo “Vídeos como recurso ao aprendizado de Biologia Celular no ensino superior”, em co-autoria com professores da UFG. A edição digital da revista Cognoscere está disponível no site da Editora IFG (acessível no link). Em breve, será lançada também a edição impressa.

Os Modelos Didáticos Alternativos podem ser utilizados em qualquer instituição escolar e a professora Joana Cristina Neves destaca que isso demonstra uma grande importância do trabalho.


O trabalho sobre Modelos Didáticos Alternativos é fruto de Projeto de Iniciação Científica no Ensino Médio (ICC), em que foram bolsistas os alunos Darley Filho e Vitória Cassimiro, que eram alunos do curso Técnico em Edificações no IFG Aparecida de Goiânia. No artigo, os professores demonstram que os recursos diferenciados facilitam tanto o ofício do docente com conteúdos de difícil compreensão quanto a assimilação desses conteúdos por parte dos discentes. As alternativas mais comuns de modelos didáticos são objetos tridimensionais, jogos e vídeos de curta-metragem. A imagem abaixo mostra um modelo tridimensional de membrana celular, construído por alunos com isopor, papelão, cordão e outros materiais.

 

O conteúdo ministrado nas aulas de Biologia para estudantes do primeiro ano do Ensino Médio envolve o estudo macro, microscópico e molecular. O uso de uma didática diferenciada mantém a atenção dos estudantes por mais tempo e os torna sujeitos ativos em sala de aula. Os autores ressaltam que é fundamental que tais estratégias integrem o planejamento das atividades em sala de aula e não sejam apenas um entretenimento esporádico. Os Modelos Didáticos Alternativos testados pelos professores de Biologia do IFG podem ser utilizados em qualquer instituição escolar e a professora Joana Cristina Neves destaca que este é o demonstrativo da grande importância que representa esse trabalho.

 

Modernização

No artigo “Vídeos como recurso ao aprendizado de Biologia Celular no ensino superior” que a professora Joana Cristina Neves de Menezes Faria (IFG), assina com os professores Vanessa Rafaela Milhomem Cruz, Adriana Maria Antunes e Simone Maria Teixeira de Sabóia Morais (UFG), é tratada a necessidade da modernização das práticas educativas diante dos avanços tecnológicos dos últimos anos. Os autores afirmam que por meio das tecnologias educacionais, como os recursos audiovisuais, os professores podem romper com a postura de detentores do conhecimento e atuar como mediadores, facilitando e incentivando os alunos a construir novos saberes.

 

Os dois artigos citados constituem, respectivamente, os capítulos 13 e 14 da revista Conoscere. A série de cadernos temáticos é organizada por três professores do Mestrado Profissional de Educação para Ciências e Matemática, do Câmpus Jataí do IFG: Luciene Lima de Assis Pires, Marta João Francisco Silva Souza e Rodrigo Claudino Diogo. A revista compõe-se de textos diversificados de discentes e servidores do IFG e de outras instituições de ensino, além de autores convidados.

 

Acesse aqui a primeira edição Cognoscere

 

Coordenação de Comunicação Social e Eventos – Câmpus Aparecida de Goiânia

 

Fim do conteúdo da página