Portal do Governo Brasileiro
  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Página Inicial

Pesquisa

Imprimir

Professora do IFG é contemplada com Prêmio Novos Talentos para a Agricultura Sustentável

A professora do Instituto Federal de Goiás (IFG), Karla de Aleluia Batista, lotada no Câmpus Goiânia Oeste, está entre os três pesquisadores de Goiás que foram contemplados na edição 2016 do Prêmio Novos Talentos para a Agricultura Sustentável, que tem por objetivo estimular pesquisas nacionais que promovam a integração entre ciência, natureza e desenvolvimento na perspectiva da promoção do alimento sustentável, envolvendo todas as áreas do conhecimento.

Dos sete jovens pesquisadores contemplados nas edições Américas e Brasil, três atuam em instituições goianas. Na tarde da última segunda-feira (28), inserida na programação do Seminário Internacional Cone Sul II, foi realizada a cerimônia de entrega do Prêmio, em Brasília. A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg) e vice-presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Maria Zaira Turchi, participou do evento. As premiações variam de US$ 15 mil a R$ 5 mil.

A iniciativa é uma parceria entre a Fapeg, o Instituto Fórum do Futuro e o Banco Mundial. Além da presidente da Fundação, estavam presentes no evento os ex-ministros da Agricultura, Alysson Paolinelli e Roberto Rodrigues, os reitor e pró-reitor do IF Goiano, Vicente Ferreira e Fabiano Guimarães, respectivamente, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais e coordenador do Prêmio, Evaldo Vilela, o representante do Instituto Interamericano de Cooperação Agrícola, Hernan Chiribogia, e o diretor de Projetos do Instituto Fórum do Futuro, Paulo Romano.

Para Alysson Paolinelli, é um grande desafio dar segurança no abastecimento alimentar do mundo e todos precisam buscar, na ciência, as inovações necessárias para que sejam progressivos os avanços nesta área. “É nítida a evolução na competência, capacidade e conhecimento destas novas gerações que estão chegando. Ter contato com essa juventude é uma injeção de cânfora nas nossas veias”, afirmou. Ele ainda agradeceu à presidente da Fapeg pelo entusiasmo e parceria para que o Prêmio tivesse sucesso.

Segundo o presidente da Fapemig, podemos olhar o alimento como uma questão de paz, tendo em vista que, em países onde não existe comida suficiente para todos, há guerras. “Hoje, ainda existe um milhão de pessoas espalhadas no mundo que passam fome. A agricultura deve ser valorizada e, convencer nossa juventude de que o alimento sustentável precisa deles, é fundamental. Essa é, sem dúvida, a melhor juventude que já tivemos no mundo e é ela quem deve ser protagonista nestas questões”, ressaltou.

Em sua fala, a presidente da Fapeg parabenizou todos os jovens talentos contemplados com o Prêmio e ressaltou que esse movimento inovador na área alimentar liderado pelos premiados trará soluções importantes para o país e para o mundo. Para ela, os projetos apresentados são produtos que efetivamente respondem a essa necessidade concreta de avanços e inovação. “A Fapeg apoiar um Prêmio nesta área significa dar uma visibilidade para o mundo da relevância e da nossa responsabilidade social diante desse cenário. O Estado de Goiás é um importante produtor de alimentos, com uma economia baseada na agricultura, então nós temos uma grande responsabilidade nesse campo”, frisou Zaira.

Contemplados

Os três pesquisadores de Goiás, que foi o estado brasileiro com mais inscritos no Prêmio, foram o doutorando da Universidade Federal de Goiás, Lucas Oliveira Gomes, o pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão, Gabriel Moura Mascarin, e a professora do Instituto Federal de Goiás, Karla Batista. Eles foram contemplados com os segundo e terceiros lugares do Prêmio Américas e segundo lugar no Prêmio Brasil, categoria Agregação de Valor na Cadeia do Alimento – Indústria, Comércio e Serviços, respectivamente.

O primeiro lugar do Prêmio Américas, ficou com o colombiano Sebástian Montoya, da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Na categoria “Pecuária de Baixo Carbono” foi vencedor o trabalho de Patrick Bressan, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, em parceria com a Embrapa Gado de Corte (MS). Já Miriam Selani, da Universidade de São Carlos, foi vitoriosa na categoria “Agregação de Valor Indústria, Comércio e Serviços”.



Assessoria de Comunicação Social da Fapeg com alterações da Diretoria de Comunicação Social do IFG. Fotografia: Fapeg.