Agroecologia

IFG participa de formação em agroecologia para assentados da reforma agrária

  • Imprimir
Criado: Segunda, 07 de Outubro de 2019, 08h19 | Última atualização em Segunda, 07 de Outubro de 2019, 08h20

A primeira etapa foi realizada na cidade de Itapirapuã

Professora Fabiana Anderson em conversa com os agricultores
Professora Fabiana Anderson em conversa com os agricultores

Ocorreu nos últimos dias 27 e 28 de setembro, na cidade de Iatapirapuã-GO, a primeira etapa de uma das edições da “Escola Diocesana de Agroecologia” em que o IFG-câmpus Cidade de Goiás é parceiro. As professoras Fabiana Andersson, Iara Pina e Patrícia Tavares contribuíram com a formação de cerca de 30 agricultores oriundos da reforma agrária que desenvolvem trabalhos no campo da agroecologia.

 A equipe realizou a animação do espaço e diálogo sobre construção de saberes, qualidade do solo, preparo de insumos, planejamento, diversificação e manejo de pomares. Segundo a professora Iara Pina, o projeto Escola Diocesana de Agroecologia tem como princípio o reconhecimento e revalorização dos saberes das/os camponeses para o “cuidado com a casa comum”. Desse modo, busca-se uma relação mais equilibrada, de convivência com a natureza, além de relações humanas mais justas. Ao longo das quatro etapas, previstas nessa edição, serão trabalhados os depoimentos de agricultores/as que desenvolvem agricultura agroecológica, oficinas de produção de defensivos orgânicos, reflexões bíblico-teológicas, momentos culturais com preparos culinários da cultura camponesa, pesquisa e troca de saberes populares.

 A próxima etapa está prevista para os próximos dias 25 e 26 de outubro, na Paróquia São Domingos, na cidade de Itapirapuã.

 A iniciativa é articulada pela Comissão Pastoral da Terra (CPT/GO), Diocese de Goiás, Paróquia São Domingos de Itapirapuã, Cáritas Diocesana de Goiás, IFG - Câmpus Cidade de Goiás e Núcleo de Agroecologia e Educação do Campo da Universidade Estadual de Goiás (Gwatá/UEG).

 

Comunicação Câmpus Cidade de Goiás com contribuição das professoras  Fabiana Anderson, Iara Pina e Patricia Tavares.