Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
COVID-19

IFG avança em ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus

Criado: Terça, 31 de Março de 2020, 15h47 | Última atualização em Segunda, 20 de Abril de 2020, 16h46

 Instituição registra diversas ações que beneficiarão diretamente a população e a área de saúde no enfrentamento à pandemia

 

Três dias após a confirmação do primeiro caso da doença Covid-19 no Brasil, o Instituto Federal de Goiás (IFG) iniciou, em 29 de fevereiro, em seus canais de mídia social, ações de divulgação sobre as formas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). À medida que a doença passou a avançar no país e após a decretação de pandemia pela Organização Mundial de Saúde, as ações institucionais foram intensificadas.

Em 13 de março, o IFG instituiu o Comitê Operativo de Emergência Covid 19, responsável pelo planejamento, pelo acompanhamento e pela execução de ações quanto às medidas de proteção para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional.

As ações de comunicação foram intensificadas e surgiu então, na Diretoria de Comunicação Social, a ideia de se articular, em rede, uma grande ação que pudesse contribuir para a conscientização dos goianos sobre a importância do isolamento ou afastamento social como medida de prevenção da transmissão do coronavírus. Essa é uma das principais recomendações da OMS para conter a transmissão em massa pelo coronavírus.

A ideia foi articulada pela diretora de Comunicação Social do IFG, em um grupo de WhatsApp que reúne comunicadores e tem por objetivo a divulgação científica em Goiás, e resultou na campanha #FicaemCasaGoiás. A ação reúne o IFG, o Instituto Federal Goiano (IF Goiano), as universidades federais de Goiás (UFG), de Jataí (UFJ), de Catalão (UFCat), a Universidade Estadual de Goiás (UEG), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e a Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás). Juntas, essas instituições estão presentes em todas as regiões do Estado e atendem milhares de estudantes.

 

Ação Nacional

A partir daí, de ação regional efetiva, que mobilizou comunidades de diversas cidades goianas, a ideia foi levada pelo IFG ao Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), onde foi acolhida, aprovada pela Diretoria Executiva da entidade e transformada na campanha #FicaemCasaRedeFederal, mobilizando 38 institutos federais, 2 cefets e o Colégio Pedro II. A Rede Federal possui mais de 600 unidades em todo o País. “Temos a certeza que a informação correta é nossa grande aliada no enfrentamento à pandemia. Usar a comunicação e todo o potencial do trabalho em rede é contribuir para o enfrentamento à Covid-19 em todo o país, conscientizando as pessoas para que sigam as recomendações”, ressalta Adriana Souza, jornalista e diretora de Comunicação Social do IFG.

 

IFG em ação

Diversas ações estão em andamento na Reitoria e nos câmpus do IFG. Abaixo destacamos algumas que apresentam impacto direto na sociedade.

Reitoria – Há outras ações em desenvolvimento pela Diretoria de Comunicação Social, a exemplo do Sarau Virtual IFG, com o objetivo de levar música às pessoas que estão em suas casas. Sabe-se que a música contribui para o equilíbrio, bem-estar e para a saúde emocional. A ação é desenvolvida em parceria com a Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos. Outra iniciativa, além das campanhas de comunicação em andamento, é a realização de entrevistas ao vivo, no Instagram, sobre temas relevantes para o momento. A primeira “live” foi realizada na última sexta-feira, 27, com o médico e pesquisador Thomaz Fleury Curado, da Johns Hopkins University, que abordou o novo coronavírus/Covid-19 e inclusive deu, em primeira mão, informações sobre a pesquisa daquela universidade que utiliza plasma no tratamento de infectados e foi aprovada pelo FDA (órgão americano equivalente à Anvisa), além de já possuir casos de aplicação em pacientes graves. A ideia é mapear os resultados desse tratamento experimental em um curto prazo.

 

Câmpus Luziânia - Desde o início do período de isolamento social, o câmpus começou a produção de álcool 70% para doação. Inicialmente foram produzidas algumas unidades do álcool líquido e, depois, iniciou a produção de álcool em gel e a distribuição gratuita dos produtos para unidades e profissionais de saúde daquele município, seguindo as determinações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A produção é realizada pelos professores de Química Leonardo François (chefe de Departamento de Áreas Acadêmica) e Romany Aires (coordenadora o curso técnico integrado em Química), e pelos professores Simone Paixão, gerente de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão, e Reinaldo Reis, diretor-geral do câmpus. O primeiro lote foi viabilizado por meio de parceria com a Associação Comercial e Industrial de Luziânia (ACIL), que arrecadou doações dos empresários e comunidade da região.

 

Também foi criado um perfil no Instagram (@psicologiaescolar.ifgluziania) dedicado ao atendimento com foco em saúde emocional de servidores e alunos. As psicólogas do câmpus é que estão à frente desse perfil que tem a finalidade de orientar e contribuir com o bem-estar emocional da comunidade acadêmica durante esse período.

 

Câmpus Aparecida de Goiânia - Professores de Química e técnicos de laboratório estão atuando juntos em um projeto para produção de kits saneantes, compostos por álcool em gel a 70%, sabonete líquido e hipoclorito. Os kits, cuja distribuição será feita a famílias em situação de vulnerabilidade social no município de Aparecida de Goiânia, conterão folhetos explicativos para utilização dos produtos, cujo design gráfico está sendo elaborado por professor de Arte do câmpus. A  produção será realizada nos laboratórios de Química do Câmpus Aparecida de Goiânia e a distribuição terá apoio da Prefeitura Municipal. O projeto está sendo implementado em parceria com o Câmpus Anápolis.

 

Câmpus Senador Canedo - Uma das ações conta com o apoio direto do reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues da Silva, e conta com um grupo de três pesquisadores: Luiz Eduardo Bento, Márcio Rodrigues da Cunha e Wesley Pacheco Calixto. Por meio de uma articulação do Reitor, que incluiu contatos com médicos e empresas de saúde, os pesquisadores deram início à produção de protótipos de máscaras Face Shield e N95 (equipamentos de proteção individual – EPIs), a partir dos modelos disponibilizados pelas empresas aos pesquisadores. O objetivo é imprimir cerca de 1,5 mil máscaras, em quatro meses, e disponibilizá-las aos profissionais de saúde de Senador Canedo. A diretora-geral do Câmpus, Maria Betânia Gondim, também está à procura de parceiros para custear a produção e já realizou contato com várias empresas e com o poder público local. 

 

Há ainda em desenvolvimento, uma técnica que poderá permitir que até quatro pacientes fiquem ligados, ao mesmo tempo, a um único respirador. Para os testes, que já estão sendo realizados, os pesquisadores estão usando um respirador cedido por uma empresa que faz manutenção e locação deste tipo de equipamento. A técnica ainda está em fase de testes, mas os primeiros experimentos são promissores e revelaram que a pressão e demais parâmetros se mantém constantes. Contudo, os pesquisadores alertam: a adoção desta técnica só é recomendável em caso de emergente necessidade, em que não haja respiradores suficientes em razão da demanda. 

Outros itens em desenvolvimento são válvulas para máscaras de pacientes ligados a respiradores, executadas a partir de um modelo italiano que possibilita a redução de até 70% dos agentes contaminantes no ambiente. Tanto as válvulas quanto as peças para as máscaras são feitas em impressora 3D. O reitor está em contato com a Setec na tentativa de obter recursos que permitam a produção em larga escala.

 

Câmpus Itumbiara - A preocupação com aglomerações em estabelecimentos que vendem alimentos, como supermercados e verdurões, motivou a direção-geral da unidade, em parceria com Diretoria de Comunicação Socia da Reitoria, a gravar áudios para veiculação em carro de som por toda a cidade. A ideia é orientar a comunidade local, reforçando as recomendações da área de saúde e informando os telefones da Secretaria de Estado da Saúde para que a população possa tirar suas dúvidas.

 

Câmpus Cidade de Goiás - As comunidades vulneráveis estão sendo mapeadas pelo Campus Cidade de Goiás, com o apoio de grupos da sociedade civil e da Secretaria de assistência Social do Município, para que se identifiquem as famílias que precisarão de doações de alimentos nesse momento de pandemia, atuando no combate à fome. Como parte desta ação, também está previsto o desenvolvimento de peças de comunicação para redes sociais para divulgar a campanha de arrecadação de alimentos para estas doações.

Assim que recursos forem liberados, a unidade também iniciará a produção de álcool 70%. Nesse primeiro momento, devem ser produzidos cerca de 200 frascos de 500ml a serem distribuídos à comunidade em situação de vulnerabilidade social.

Outra ação é intitulada “Feira Virtual”, que consiste no desenvolvimento de uma plataforma virtual interativa para facilitar a comunicação entre agricultores e consumidores, garantindo a compra virtual de alimentos e possibilitando a manutenção da geração de renda aos pequenos produtores. 


Câmpus Jataí – Em parceria com empresas e a sociedade civil, o Campus Jataí está atuando para viabilizar a produção de álcool antisséptico que será destinado aos profissionais da saúde de Jataí e, também, para estudantes e professores da Universidade Federal de Jataí (parceira da iniciativa) que estão em atividades de prevenção ao COVID-19. Foram doados três mil pares de luva e mil toucas, realizado o transporte de 500 litros de álcool 70% doados pela empresa Energética Serranópolis, além de 4 mil unidades embalagens também recebidas por meio de doação e que estão sendo usadas no acondicionamento para distribuição do produto.


Câmpus Anápolis - Está desenvolvendo um projeto para produção de álcool em gel a partir de componentes alternativos aos utilizados normalmente, que já estão em falta no mercado. A ação é articulada por professoras de Química. Além disso, numa ação conjunta com o Câmpus Luziânia, produzirá também o álcool líquido 70%. Em outra ação, esta articulada com o Câmpus Aparecida de Goiânia, produzirá de kits de higiene e limpeza para serem destinados à comunidade mais vulnerável.

Câmpus Goiânia - Está efetivando, por meio de grupo de servidores, a ação de produção de álcool em gel, utilizando os laboratórios e insumos disponíveis na unidade, para o desenvolvimento e distribuição gratuita. Porém, a ação aguarda a validação do projeto junto aos órgãos sanitários e de controle, em consonância com a legislação vigente.

O setor de comunicação do câmpus está atuando intensamente na divulgação de informações, pelos canais institucionais, sobre conteúdos científicos para a comunidade, além dos que apresentam, em especial, as recomendações de saúde sobre a importância do distanciamento e isolamento social e as formas de prevenção.

Outra iniciativa envolve alguns alunos se voluntariaram na última quinta-feira, 26 de março, para ajudar na produção do suporte da máscara facial (modelo Face Shield), um EPI a ser utilizado pelos profissionais da saúde. Eles atuam junto a um projeto que está sendo desenvolvido pelo Laboratório de Prototipagem da UFG. Utilizando suas próprias impressoras 3D, os alunos Múria Viana, Joiro Gomes Neto, Lucas Schmidt e Julyelly Roberta estão produzindo de suas casas apenas a parte plástica que serve de suporte para a máscara. Possivelmente outros alunos estejam se voluntariando a esse mesmo projeto também. A pretensão deles é produzir até a matéria-prima (filamento), que é um recurso comprado por eles, acabar.

 

Câmpus Uruaçu – “Em Casa Sem Fake” é um api (Interface de Programação de Aplicação) de WhatsApp desenvolvido pelo Grupo de Robótica Educacional (Grifu) em parceria com o projeto Meninas Cientistas. Pelo api são disponibilizadas informações seguras, confiáveis e atualizadas. As informações são das bases da OMS, Ministério da Saúde e aprovadas pelo setor de Saúde do Câmpus. Para acessar, basta adicionar o número 33578150 e mandar um “oi” no WhatsApp. Por meio do “chatbot” é possível obter 11 tipos de informação (1. Últimos números no mundo; 2. Últimos números no Brasil; 3. Proteja-se; 4. Tire suas dúvidas; 5. Não acredite em fake News; 6. Conselhos de viagem; 7. Compartilhar; 8. Telefones importantes; 9. Doe agora; 10. Conheça nossa equipe; 11. Deixe sua sugestão).

 

Outra ação de destaque é a produção de protetores faciais (máscara tipo Face Shield) para distribuição aos profissionais de saúde da Prefeitura Municipal de Uruaçu. A meta é entregar 87 protetores nas próximas semanas.

 

Câmpus Formosa - Estuda a viabilidade de sua participação no projeto de produção de álcool em gel, iniciado pelo Câmpus Luziânia.

 

Câmpus Inhumas – Realizou palestras, antes da suspensão das aulas, com a médica infectologista Josela Palmeira Pacheco. A médica é servidora da unidade e as palestras foram voltadas aos estudantes, servidores e terceirizados. Foram apresentadas informações sobre o vírus, dados e gráficos sobre as infecções em outros países e as recomendações e medidas de prevenção.

Os demais câmpus seguem com ações voltadas à comunidade interna. Destaca-se a atuação em rede entre a Diretoria de Comunicação Social e os setores de comunicação de todos os câmpus do IFG, com o envolvimento integral dos comunicadores da Instituição, com o objetivo de unificar as informações e ampliar o alcance das mensagens de interesse público e vinculadas às recomendações de autoridades sanitárias e de saúde sobre a pandemia do coronavírus, além das informações institucionais.

 


* Reportagem especial da Diretoria de Comunicação Social da Reitoria com informações dos setores de comunicação dos câmpus: Anápolis, Aparecida de Goiânia, Goiânia, Itumbiara, Inhumas, Jataí, Senador Canedo, Luziânia, Águas Lindas, Cidade de Goiás, Valparaíso e Formosa.






 

Fim do conteúdo da página