Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
ENSINO

Encontro do primeiro Grupo de Gestantes e Puérperas do IFG Câmpus Goiânia Oeste marca o encerramento do projeto de ensino

Criado: Terça, 03 de Dezembro de 2019, 12h18 | Última atualização em Sexta, 20 de Dezembro de 2019, 16h23

Amamentação idealizada e amamentação real foi a temática escolhida para o encontro

imagem sem descrição.

Os estudantes e professores do Projeto de Ensino, Formação de Estudantes do Ensino Técnico Integrado ao Ensino Médio para ofertarem um curso de gestantes à comunidade escolar do IFG Campus Goiânia Oeste, promoveram no último sábado, dia 30 de novembro, o 1º Grupo de Gestantes e Puérperas do câmpus. O encontro teve como tema Amamentação idealizada e amamentação real e contou com a participação de alunas e servidoras gestantes e puérperas do IFG Câmpus Goiânia Oeste.

O encontro iniciou com um café da manhã ofertado às participantes, na sequência, as professoras responsáveis pelo projeto falaram sobre as atividades desenvolvidas durante o semestre. A professora Thaís Augusto Marinho, coordenadora do Projeto de Ensino, ressaltou a importância da formação de uma rede de apoio para as gestantes e puérperas: “Uma mãe não cria o seu filho sozinho, os colegas de curso e sala de aula podem ser parte dessa rede de apoio e auxiliar para que as alunas do câmpus perseverem na conclusão dos seus estudos”.

Após a apresentação do Projeto de Ensino, os alunos ministraram diferentes oficinas dentro da temática escolhida para o encontro. Nas oficinas foram abordados assuntos como a preparação da mama para a amamentação durante o período gestacional, o uso de protetores de seios para as lactantes, massagens e compressas para evitar o empedramento dos seios e a mastite, alimentação adequada para as lactantes e a técnica da ordenha manual e da ordenha com o uso de bombas de leite.

Rede de Apoio

A aluna do sexto período do curso Técnico em Enfermagem, Ismália Pereira da Silva de Paula, começou o projeto de ensino com sete meses de gestação e participou do encontro já como puérpera, com o filho recém-nascido Heitor nos braços: “O Projeto de Ensino me ajudou muito na questão de ser a tribo, de não criar um filho sozinha. Você precisa de ajuda, precisa de pessoas ao seu redor para auxiliar, eu tenho outros filhos, mas nunca tive essa oportunidade de participar de grupos de gestantes, de ter esse apoio, minha mãe mora distante, minha sogra também não consegue me ajudar. Esse projeto e esse grupo me ajudou demais, muito mesmo, me senti apoiada”.

“Como sou professora de materno-infantil atualmente no câmpus, as gestantes vinham, me perguntavam, tiravam dúvidas, e, além de ser a professora da disciplina, eu também me sensibilizava com o tanto de gestantes na instituição que são pouco acolhidas e pouco unidas. Elas precisavam se unir, e os estudantes daqui que estão vivendo essa disciplina poderiam ajudar, então o projeto de ensino veio com o objetivo de capacitar não só os estudantes do sexto período do curso Técnico em Enfermagem que fazem essa disciplina, mas também os estudantes dos cursos técnicos em tempo integral. A gente tenta trabalhar com a questão que pedir ajuda é muito importante, é um momento muito difícil para a gestante e para puérpera, e ela se vê na obrigação de dar conta de tudo. Muitas vezes tem quem possa ajudá-la, mas ela tem que pedir, manifestar esse pedido de ajuda, e a gente estimula isso, para que ela peça ajuda aos professores, aos colegas, a assistente social e a pscicóloga do câmpus, para que possamos oferecer esse suporte no que pudermos. Agora, com o encerramento do Projeto de Ensino, nosso objetivo é iniciar um projeto de extensão para que periodicamente esse grupo aconteça, para que a ideia não morra e o grupo continue acontecendo”, explicou a professora Thaís Augusto Marinho, coordenadora do Projeto de Ensino.

Atuação profissional

Para a discente do segundo ano do curso Técnico Integrado em Análises Clínicas, Greice Quezia de Freitas Silva, participar do projeto foi enriquecedor tanto para sua formação profissional como também pessoal: “Eu gostei muito de participar desse projeto, eu sou apaixonada por essa área e quero futuramente trabalhar profissionalmente com gestantes, fazer parto, trabalhar com neonatal. Esse projeto me acolheu e me fez gostar ainda mais dessa área. Ele foi muito importante para a minha formação pessoal e profissional, antes eu ficava na dúvida de que curso queria fazer, mas conviver com os alunos e professores de enfermagem, ver o amor deles pelas pessoas, o cuidado, fez eu ver que quero ser enfermeira. Além disso, tenho também uma irmã que vai ter uma filha agora em janeiro. Toda informação que eu aprendia no curso eu passava pra ela, falava você tem que fazer isso, porque senão acontece isso. Ela também se informou e aprendeu mesmo sem poder participar do curso”.

De acordo com o aluno do sexto período do curso Técnico em Enfermagem, José Antônio Ferreira de Souza, participar do Projeto de Ensino também contribuiu para as suas escolhas profissionais: “Foi muito interessante participar desse projeto, fui convidado pela professora Thaís e para falar a verdade eu não estava muito interessado nessa parte de RN (recém-nascido), na enfermagem tem muitas áreas de atuação e essa não era uma área do meu interesse. Mas de acordo com o que a gente ia aprendendo no projeto, e ao mesmo tempo que eu participei do projeto eu estagiei no hospital Materno Infantil, aí eu comecei a me interessar pela área, achei muito interessante, de muita valia e crescimento para mim. Quando meu neto nasceu, eu estava no estágio lá no Materno e eu que fiz os cuidados com ele e foi muito gratificante. A questão da gestação e do puérpero não envolve somente a mãe, envolve todo um contexto, tem que ter a presença do pai, dos familiares, todos devem estar envolvidos. Os homens também tem que participar dos cuidados tanto durante a gestação como no pós-parto e também nos cuidados com o recém-nascido”.

Integração entre os cursos técnicos

José Antônio destacou ainda a interação e o convívio com os alunos dos cursos Técnicos em período integral, “Foi muito interessante conviver com os alunos dos outros cursos, cursos que são da área da saúde também, mas de áreas bem diferentes. Eles são bastante esforçados e interessados, apesar da pouca idade ao comparar com os alunos do curso Técnico em enfermagem. Eles se dedicaram e houve entre a gente troca de experiências e aprendizados”.

“Foi bem produtiva a interação dos alunos do curso Técnico em Enfermagem com os alunos dos cursos técnicos em Análises Clínicas, em Nutrição e Dietética e em Vigilância em Saúde. Os alunos contribuíram dentro da sua temática, os alunos de nutrição sempre estavam fazendo comentários e colaborando com a parte alimentar que eles sabiam e dominavam mais, os alunos de vigilância com as informações que eles detinham, e os alunos de análises clínicas também, na parte de exames laboratoriais, pré-natal. Eles participaram bastante, foi um conhecimento construído de forma coletiva, e, agora ao final, a gente encerrou o Projeto de Ensino com esse grupo de gestante. O projeto teve duração de seis meses, de junho a novembro de 2019. Eles iniciaram o projeto aprendendo a promover grupos de atenção primária, grupos de saúde coletiva, atividades preventivas, estudamos a possibilidade de vários grupos e metodologias ativas para que eles trabalhassem de forma dinâmica com essas diferentes populações. No decorrer do projeto fomos aprofundando na temática materno-infantil, estudamos a gestação, o parto e o puérpero. Ao final desses meses eles escolheram a temática para que nesse último mês a gente programasse esse encontro. E o alvo era eles criarem esse grupo dentro do câmpus, reunindo as gestantes e as puérperas. E foi uma atividade com sucesso, deu tudo certo, eles mostraram um desempenho muito bom na parte prática e teórica das oficinas apresentadas e também na organização e logística do grupo”, afirmou a professora e coordenadora do Projeto de Ensino, Thaís Augusto Marinho.

O encerramento do grupo contou ainda com o sorteio de brindes e entrega de presentes as gestantes e puérperas presentes.

 

Veja na nossa página no Facebook mais fotos do 1º Grupo de Gestantes e Puérperas do IFG Câmpus Goiânia Oeste.

 

Coordenação de Comunicação Social/IFG Câmpus Goiânia Oeste

Fim do conteúdo da página