Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Cinema

Estudantes e professores de cinema do IFG Campus Cidade de Goiás participam do IV Fronteira Festival

Criado: Quinta, 19 de Abril de 2018, 09h29 | Última atualização em Terça, 24 de Abril de 2018, 07h37

A programação do IV Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental se estende até 21 de abril de 2018, no Cinema Lumière do Banana Shopping, no Centro de Goiânia.

Vinculado ao Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Goiás como projeto de extensão, o IV Fronteira é realizado pela Barroca Filmes, com recursos do Fundo Nacional da Cultura, apresentação da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, Seduce e Governo de Goiás, e patrocínio da rede Cinemas Lumière. O projeto tem a direção artística de Marcela Borela, docente do Curso Técnico Integrado em Produção em Áudio e Vídeo e do Bacharelado em Cinema e Audiovisual do IFG. Alunos e professores participam como júri jovem, monitoria, residência de crítica de cinema, debate, mostra Cadmo e o Dragão e Onomatorquestra.

Júri jovem – Os alunos Marcos Paulo Cruz, 3o período de Cinema, e Victor Katsuya, 1o período de Cinema, estão assistindo aos 26 filmes das Mostras Competitivas Internacionais de Longas e Curtas para, como júri jovem, concederem premiação aos melhores em cada programa. Com eles, também compõem ação de formação duas alunas de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual de Goiás (UEG), Bruna Chamelet e Bárbara Santana, garantindo o intercâmbio entre estudantes de cinema de ambas as instituições.

Monitoria - Outro espaço de troca de experiências e contribuição à realização do festival tem sido as monitorias na área da produção, logística e técnica com supervisão da diretora de produção do evento Tamara Benetti. Os estudantes Diego Henrique de Oliveira e Marina Carolina Coelho do 1o período de Cinema, a estudante Maria Morena França do 2o ano do Curso Técnico Integrado em Produção de Áudio e Vídeo e o aluno Paulo Sérgio Garcia do 3o período de cinema, fazem parte da equipe que têm tido contato com alunos de outras instituições e vivido, de dentro, a experiência de colaborar com a organização de um festival internacional.

Making of – O registro audiovisual do evento é assinado pelas alunas Yolanda Margarida e Morgana Assunção, do 7º período de Cinema e Audiovisual. A primeira é responsável pela produção das imagens e dos sons, e, a segunda pela montagem e edição tanto de pílulas diárias da cobertura do festival que estão indo para a internet, quanto do vídeo que interpreta o evento de 10 dias de duração, a ser divulgado após a imersão.

Residência de Crítica de Cinema - Jean Carlos Leal, estudante do 3o período de Cinema e Audiovisual, participa da Estado Crítico – Residência de Crítica de Cinema, ação que reúne 12 críticos e pesquisadores de cinema, entre brasileiros e estrangeiros, para refletir sobre o regime das imagens e sons no cinema experimental e documentário contemporâneos, a partir da programação do Fronteira. Em sua 4a edição, a atividade é coordenada pelos críticos, pesquisadores e curadores Victor Guimarães (Brasil) e Ela Bittencourt (Estados Unidos).

Debate – Na última terça, dia 17, o professor e coordenador do Bacharelado em Cinema e Audiovisual Renato Naves Prado, mediou a mesa-redonda “Memória e Preservação”, que contou com os realizadores, pesquisadores e preservadores audiovisuais Stephen Broomer (Canadá), Sami Van Ingen (Finlândia) e Hernani Heffner (Brasil) para discutir estratégias de sobrevivência e acesso da memória e da história dos cinemas minoritários e periféricos no mundo.

Mostra Cadmo e o Dragão – Na mostra especial não competitiva dedicada aos filmes de invenção contemporâneos produzidos em Goiás, no sábado, dia 21 de abril, às 17h, serão mostrados, em tela grande, dois filmes realizados em processos de ensino tanto do Bacharelado em Cinema e Audiovisual quanto do Curso Técnico Integrado em Produção em Áudio e Vídeo do IFG. São eles Diriti de Bdé Buré (2017, 18 min) e Estou na Cachoeira (2017, 21 min), realizados pelo NPD – Núcleo de Produção Digital de Goiás, sediado no Campus Cidade de Goiás.

Diriti de Bdé Buré é um documentário etnobiográfico que revela o conflito com a memória de Diriti, mulher indígena mestra ceramista que trabalha com a feitura da boneca Karajá na aldeia Bdé Buré em Aruanã, noroeste de Goiás. O curta mostra as relações intraetnia envolvidas na feitura das imagens, numa perspectiva de continuidade da cultura, além da manutenção econômica. Foi realizado dentro do Ciclo de Realização em Documentário do Bacharelado em Cinema e Audiovisual do IFG e é dirigido pela aluna do 5o período Silvana Beline, contando também com os estudantes Matheus Amorim, Sankirtana Dharma, Carminha Lombardi e Rafael Freire na ficha técnica.

Em Estou na Cachoeira, um grupo de estudantes encontra Césio, ambientalista e guia turístico da Cachoeira e mata das Andorinhas no município de Goiás. Desse encontro, nasce um documentário sobre o homem que não é só um guia, mas sim, um guardião de um santuário encantado e rodeado de mistérios e vestígios do tempo da escravidão. O filme é trabalho final de curso (TCC) da primeira turma formada pelo Curso Técnico Integrado em Produção de Áudio e Vídeo do IFG Campus Cidade de Goiás, com direção de Lucas Matheus, fotografia de Gabriel Araújo e Marcos Paulo Cruz e montagem de Geraldo Neto, os três últimos hoje alunos do 1o e 3o períodos do Bacharelado em Cinema e Audiovisual.

Onomatorquestra – O projeto de extensão do IFG, criado e coordenado pelo professor Guilherme Martins como uma orquestra de sons, ruídos e silêncios e formada em 2016 em parceria com estudantes do curso de Bacharelado em Cinema, realiza uma apresentação no último dia do Fronteira Festival, sábado, 21/4, as 14h30 no Lumière Banana. A Onomatorquestra irá executar ao vivo a trilha sonora de dois filmes silenciosos da cineasta Maya Deren, At Land (1944) e A Study in Coreography for Camera (1945), e a animação brasileira Caminho dos Gigantes (2016), de Alois Di Leo. Utilizando sintetizadores, grãos de areia, brinquedos de criança e seus próprios corpos como produtores de ruído, a Onomatorquestra propõe uma experiência sinestésica capaz de transportar o espectador ao cinema dos primeiros tempos, quando orquestras escondidas no fosso, na coxia ou atrás da tela, executavam ao vivo a trilha sonora de filmes que eram muita coisa, menos mudos.  Participam do projeto os estudantes do Bacharelado em Cinema e Audiovisual Agnaldo Batista, Ana Luiza Reis, Alexandre Ventana, Bianca Andrade, Carminha Lombardi, João Batista Carvalho, Junior Cortes, Olismar Júnior, Matheus Amorim, Sankirtana Dharma, Silvana Beline, Vanessa Rodrigues, Victor Hugo Ferreira, Viviane Goulart, Yasmin Nascimento, além do professor Guile Martins.

 

Serviço:

Participação de alunos e professores do IF Goiás no IV Fronteira Festival

Data do festival: 12 a 21 de abril de 2018

Local: Cinema Lumière Banana Shopping – Avenida Araguaia, n. 376, Centro, Goiânia 

Ingressos: R$ 8 inteira, R$ 4 meia e R$ 70.

Mais infohttp://www.fronteirafestival.com

Facebook: https://www.facebook.com/fronteirafestival/

 

Texto produzido pela professora Marcela Borela

Fim do conteúdo da página