Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Ensino

Literatura negra feminina será ponto de partida para produções autobiográficas de estudantes

Criado: Quinta, 01 de Outubro de 2020, 17h32 | Última atualização em Quarta, 21 de Outubro de 2020, 14h29

O projeto de ensino terá encontros às sextas-feiras, das 17h às 18h30, e o início será em 16 de outubro

As obras de autoras negras servirão de base para um trabalho de leitura e escrita que será desenvolvido a partir do dia 16 com alunos do IFG, preferencialmente dos cursos técnicos da modalidade Educação para Jovens e Adultos (EJA) e ingressantes pelas ações afirmativas do Instituto Federal de Goiás (IFG). O projeto de ensino “A leitura e a escrita de gêneros discursivos autobiográficos a partir da literatura negra produzida por mulheres” terá as inscrições abertas de 5 a 12 de outubro.

A ação tem como objetivos promover a leitura de autoras negras, melhorar a escrita, estimular o diálogo e a troca de experiências e refletir sobre o preconceito racial na vida dos estudantes. Durante as atividades, que serão desenvolvidas semanalmente pelo Google Meet, os estudantes poderão apresentar sua visão sobre ser negro e pertencer ao IFG.

Até fevereiro do próximo ano, o projeto proporcionará aos alunos a leitura de diários, relatos e poemas de autoras negras, como Conceição Evaristo e Carolina de Jesus, observando forma de composição, tema e estilo. A partir dessa leitura, os participantes farão suas próprias composições autobiográficas, rememorando aspectos da sua própria vida.

A ação tem como coordenadora a professora Daniele Gonçalves Dias (IFG/Câmpus Formosa); colaboradores, professores Luciana Campos de Oliveira Dias e Lemuel da Cruz Gandara (IFG/Câmpus Formosa); e as estudantes bolsistas também do IFG/Câmpus Formosa, Clair Bernardes da Costa, do curso de Manutenção e Suporte em Informática, e Isabella Bernardes Furtado, de Biotecnologia. “Queríamos [eu e a Isabella] colocar as nossas vozes como mulheres negras e as vozes de outras pessoas que tiveram essas vivências, para refletir sobre como uma identidade racial é determinante ou não na nossa vida”, explicou a professora Daniele.

Os estudantes participantes recebem no final do curso o certificado de 54 horas, que correspondem aos encontros semanais via Google Meet, orientações de escrita e elaboração de relatórios. 

 

Você poderá fazer sua inscrição aqui, de 5 a 12 de outubro.

 

Setor de Comunicação Social/Câmpus Formosa

Fim do conteúdo da página