Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
#SOUIFG

Acesse o material da campanha #SouIFG – Fazemos a diferença na educação brasileira

Criado: Segunda, 20 de Maio de 2019, 13h29 | Última atualização em Terça, 25 de Junho de 2019, 18h31

A Diretoria de Comunicação Social do Instituto Federal de Goiás (IFG) desenvolve a campanha #SouIFG – Fazemos a diferença na educação brasileira, com o objetivo divulgar, para as comunidades interna e externa, os resultados institucionais e os vinculados às ações de ensino, pesquisa e extensão.

Acesse aqui outros materiais da Campanha #SouIFG produzidos pela Diretoria de Comunicação.

 

Campanha no Câmpus Goiânia

A Coordenação de Comunicação Social do Câmpus Goiânia, em consonância com a Diretoria de Comunicação Social do IFG, também agrega à campanha #SouIFG publicações que reforçam ações e projetos desenvolvidos por professores e alunos do Câmpus Goiânia no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão.

Os servidores e estudantes que desejarem apoiar a ação de comunicação institucional, bem como a comunidade em geral, poderão salvar as imagens, compartilhando-as em seus perfis pessoais nas mídias sociais (Facebook, Instagram, Twitter e WhatsApp), fazendo o uso da #SouIFG. Também poderão realizar o compartilhamento a partir dos perfis e da página do IFG nas mídias sociais, onde poderão curtir e comentar as publicações.

Imagem 25

Com objetivo de ressocializar, promover a inclusão social e produtiva e oportunizar a reinserção de egressos do sistema prisional goiano, o projeto Alvorada visa oferecer curso profissionalizante de eletricista predial a 30 egressos de unidades prisionais de Goiás. 

O projeto é fruto de parceria entre o IFG, a Defensoria Pública do Estado de Goiás e a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária do Estado de Goiás. O curso do projeto Alvorada é ofertado no Câmpus Goiânia Oeste do IFG. Conheça mais sobre esse projeto no site: http://bit.ly/2ZRbc5x

Imagem 24

Pesquisa desenvolvida entre alunos e professores do IFG – Câmpus Goiânia e da Universidade Federal de Goiás revela a qualidade da água do Córrego Tamanduá, em Aparecida de Goiânia. O estudo mostra que as ações do homem e de fenômenos naturais são situações que impactam diretamente na qualidade do córrego.

De acordo com as análises realizadas pelos pesquisadores, a água do Córrego Tamanduá apresenta variação sazonal, tendo maior deterioração em períodos chuvosos. Resultados apontam ainda que é impróprio o uso preponderante do manancial para irrigação de hortaliças e para o consumo humano, sem tratamento prévio. Já para fins recreativos (de contato primário) o córrego foi classificado como excelente.

Confira mais informações sobre a pesquisa na matéria: http://bit.ly/2FvEpLl

Imagem 23

 

Pesquisa do IFG – Câmpus Goiânia vira projeto de extensão e auxilia moradores da Vila Romana, em Aparecida de Goiânia, a tratar água de cisterna com filtro de baixo custo. A iniciativa, desenvolvida junto à associação de moradores do bairro, permite que cerca de 700 famílias possam contar com água tratada ao construir filtro acessível, utilizando cascas de coco, PVC, lâmpadas UV e vermiculita (item encontrado facilmente em casas de materiais de construção).

O modelo do filtro foi desenvolvido após pesquisas no laboratório do IFG – Câmpus Goiânia. Amostras da água encontrada nas cisternas da Vila Romana relevaram contaminação por metais pesados, micro-organismos e produtos químicos. Com o filtro de baixo custo, essas impurezas são retiradas, contribuindo com a saúde dos moradores.

Confira mais informações: http://bit.ly/2L274eH

Imagem 22

 

A área de robótica é uma realidade aqui no Câmpus Goiânia do IFG. Exemplo disso é o grupo de robótica institucional, o GynBot, que reúne alunos dos cursos técnicos e superiores da área de Eletrônica, Eletrotécnica e de Controle e Automação. Com o objetivo de expandir esse conhecimento para além dos muros do câmpus, professores do Instituto engataram o projeto Makers – Robótica Educacional. A ideia é capacitar docentes das escolas municipais de Goiânia para aplicarem a robótica em suas unidades educacionais, estimulando o aprendizado dos estudantes.

Confira mais sobre como funciona o projeto: http://bit.ly/2VG77iO

Imagem 21

 

Estudantes da Licenciatura em Letras – Língua Portuguesa do Câmpus Goiânia do IFG realizaram pesquisa junto a instituições de ensino da rede estadual de Educação que resultou na implementação de ateliês de leitura e escrita com os alunos dessas escolas. A primeira ação foi desenvolvida no Colégio Estadual Jardim Balneário Meia Ponte.

Nos ateliês, os licenciandos em Letras trabalham temas transversais na educação básica, que são definidos pelo Ministério da Educação, como Ética, Pluralidade Cultural, Meio Ambiente e Saúde. Como resultado da atividade, os alunos do Colégio Jardim Balneário Meia Ponte apresentaram charges, cartoons, tirinhas, poemas e até rap com o tema Meio Ambiente.

Com a iniciativa, os estudantes da Licenciatura em Letras ganham experiência nos ambientes escolares e agregam valor ao aprendizado nas instituições de ensino da rede pública estadual.

Confira mais detalhes: http://bit.ly/2XX5azC

Imagem 20

IFG inicia projeto de capacitação de servidores e gestores do SUAS para promoção da igualdade racial

O IFG foi a instituição encarregada de promover capacitação para melhorar o atendimento da população negra no Sistema Único de Assistência Social (SUAS). A iniciativa tem como base os dados nacionais os quais revelam que cerca de 53% dos brasileiros são negros. Além disso, o número de pobres negros é quase três vezes maior que os pobres brancos. As informações são do IBGE, que apontam a necessidade para a criação e fortalecimento de políticas públicas de assistência social, uma vez que o racismo estrutural e institucional acentuam ainda mais essa desigualdade racial e econômica.

Para saber mais sobre como foi essa capacitação realizada pelo IFG, acesse a matéria: http://bit.ly/2XGZTvL

 

Imagem 19

Post 19

Promover a alimentação saudável entre a comunidade e colaborar com a agricultura familiar no estado de Goiás são objetivos da Feira Agroecológica. A Feira é uma ação interinstitucional que envolve as Reitorias do IFG e do IF Goiano e o Câmpus Goiânia do IFG.

Nossa deliciosa feirinha acontece mensalmente, sempre na segunda quarta-feira de cada mês, em locais e horários distintos: Reitoria do IFG (8h às 10h), no Câmpus Goiânia do IFG (11h às 13h) e na Reitoria do IF Goiano (14h às 16h).

Na Feira Agroecológica, são comercializados, na Instituição, frutas, verduras, legumes, doces, entre outros produtos alimentícios produzidos por agricultores familiares. Graças a essa ação, a comunidade acadêmica é incentivada também a reduzir o uso de sacolas plásticas na hora da feira, optando por sacolas reutilizáveis, visando conscientizar quem participa da feira para atitudes mais sustentáveis e que gerem menos impactos ao meio ambiente.

A Feira Agroecológica é uma realização do Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (Siass). Saiba mais sobre nossa Feira Agroecológica no site: http://bit.ly/2WDp2WW

 

 

Imagem 18

 

Pesquisa realizada por alunos de Engenharia Ambiental e Sanitária do IFG – Câmpus Goiânia e pelo professor Marlon Capanema, coordenador do curso na unidade, identificou e analisou gases que podem causar mau odor na região de Estação de Tratamento de Esgoto de Goiânia (ETE). Os estudiosos constataram que o gás sulfídrico como indicador para a análise dos odores.

Segundo o professor Capanema, o odor é resultado de uma mistura de gases. Na pesquisa, foram investigados, no total, 23 pontos de análise de odores, distribuídos dentro da ETE Goiânia e nas proximidades da estação.

Quer saber mais? Acesse a matéria em nossa página: http://bit.ly/2MD5J09

Imagem 17

O assunto é inclusão! Pensando nisso, o IFG – Câmpus Goiânia desenvolveu na sua última Semana de Educação, Ciência, Tecnologia e Cultura (Secitec) uma ação voltada especificamente para a literatura surda, a diversidade da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e sua aplicação no ensino. A oficina mobilizou alunos, servidores e membros da comunidade externa ao IFG que estiveram presentes durante o evento.

Com foco na literatura surda, a oficina intitulada “Literatura em Libras: Rapunzel Surda” abordou aspectos sobre os três tipos de literatura: as traduções das obras originais, a literatura adaptada e a literatura surda. Além dessa atividade, a 3ª Secitec do Câmpus Goiânia também ofertou o minicurso “Compreendendo a diversidade: Libras e quem precisa dela”.

Confira mais detalhes sobre as ações: http://bit.ly/2MEN8kA

Imagem 16

Pensa em como reduziríamos o impacto ambiental causado pelos lixões e aterros se muito daquilo que consumimos se transformasse em matéria-prima para dar vida a novas plantas, hortas, entre outros? Parte desse princípio a compostagem doméstica: aquilo que normalmente vai para o lixo, como restos de alimentos, e até algumas roupas feitas de algodão puro e esponjas naturais podem ser inseridos em uma composteira que vai decompor o que era resíduo em fertilizante.

O tema foi abordado junto às comunidades interna e externa do IFG – Câmpus Goiânia durante a 3ª Semana de Educação, Ciência, Tecnologia e Cultura (Secitec). A oficina foi ministrada pelo representante da Escola Resíduo Zero Goiânia, Giovane Moraes Toledo.

Confira como foi a ação: http://bit.ly/2KAjBpB

Imagem 15

 

Já pensou em tratar esgoto utilizando plantas? Pois existe pesquisa que demonstra como essa forma bastante sustentável pode ser bem eficiente.

Pesquisadores do IFG – Câmpus Goiânia e da Universidade Federal de Goiás aplicaram o sistema chamado Wetlands Construídos (ou alagados construídos), que consistem na implantação de ecossistemas artificiais para o tratamento de esgotos sanitários. Para isso, utiliza-se plantas, substratos e micro-organismos para despoluição do esgoto.

Bacana, não é? A gente conta mais detalhes dessa pesquisa na nossa página. Clique no link a seguir: http://bit.ly/2Zcst8Y

 

Imagem 14

Canos de PVC, com o auxílio de hardwares e softwares livres se transformaram em drones nas mãos dos nossos alunos do curso de Engenharia de Controle e Automação. O protótipo de veículo aéreo não tripulado (vant) foi apresentado como trabalho de conclusão de curso dos estudantes Estevão Fonseca, Karina Moura e Hediman Alves, orientado pelo professor Otávio Calaça Xavier.

Além dos canos, eles utilizaram também peças consideradas lixo eletrônico para a construção do drone, modelo quadricóptero. Para a execução do protótipo, os estudantes investiram cerca de R$ 600. O vant é controlado remotamente, por meio de comunicação wi-fi entre a aeronave e o computador, no qual foi instalado software para navegação.

Criatividade e uso de materiais simples viram inovação, graças ao empenho dos nossos alunos! Para saber mais sobre o protótipo, basta acessar a matéria na nossa página: http://bit.ly/2HYc7Ld

#souIFG #Inovação #Pesquisa #ControleeAutomação #Drone #Reciclável #Reutilize #IFG #IFGCâmpusGoiânia

Imagem 13

Pesquisadores do IFG – Câmpus Goiânia contribuíram com o curso de capacitação para implementação de projeto-piloto nos Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário em Terezópolis. A iniciativa teve o objetivo de orientar profissionais para implementar o Plano de Segurança de Água e o Plano de Segurança de Esgoto.

O professor do IFG – Câmpus Goiânia, Vinícius Fagundes explicou que a escolha da cidade de Terezópolis se deu porque tanto sua captação de água quanto o descarte final de efluentes se dão na mesma bacia. O curso de capacitação teve duração de três dias e, durante a ação, foi formalizado um acordo de coparticipação entre os entes envolvidos que terá duração de 24 meses.

Confira mais informações na nossa página: encurtador.com.br/dsxDX

 

 

Imagem 12

Post 12 da campanha Sou IFG

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) do IFG tem um papel muito importante na formação de futuros professores, pois propicia, aos licenciandos, vivências e experiências que auxiliem o entendimento do funcionamento da realidade escolar e em escolhas futuras relacionadas às metodologias a serem utilizadas em sala de aula e no relacionamento professor-aluno.

Um desses exemplos do PIBID ocorre no curso de Licenciatura em Letras-Português, ofertado no Câmpus Goiânia do IFG. Estudantes do curso, sob a orientação da professora de Letras Suelene Vaz, promoveram atividade que incentivou o uso de plataformas virtuais para o ensino de gêneros literários - poemas e contos - junto a estudantes do Colégio Estadual Dom Abel S.U.

O resultado da atividade foi benéfico tanto para os alunos do colégio estadual, que aprenderam o conteúdo de gêneros literários de maneira lúdica e interativa; e também para as estudantes de Letras-Português, que experimentaram os desafios de lecionar para alunos da educação básica utilizando as novas tecnologias para o ensino e aprendizagem.

Saiba mais sobre essa atividade no site: http://bit.ly/2JUErR2

Imagem 11

Post 11 da campanha sou IFG

 A equipe Predadores Baja é formada por estudantes dos cursos de Engenharia Mecânica e de Controle e Automação do IFG - Câmpus Goiânia. Eles foram os únicos a representarem Goiás na 24ª Competição Baja SAE Brasil, em 2018.

Os estudantes participaram do evento com um protótipo de veículo off road, que foi construído pela equipe. Resultado: receberam premiação de melhor equipe da região Centro-Oeste, categoria em que competiam com seis times de instituições de ensino públicas e particulares.

Para os alunos, a experiência foi uma forma de colocar em prática os conhecimentos aprendidos em sala de aula. Para saber como foi essa aventura sob rodas, acesse a matéria: http://bit.ly/2wwdl9X

Imagem 10

Post 10 da campanha Sou IFG


O projeto Música, Movimento e Infância, coordenado pelo professor do Câmpus Goiânia do IFG, Gustavo Araújo Amui, e pela professora da UEG, Rosirene Câmpelo dos Santos, promoveu ações de intervenção no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Viver a Infância, situado no Setor Leste Vila Nova, em Goiânia, no ano de 2018.

Estudantes da Licenciatura em Música do Câmpus Goiânia do IFG contribuíram com o projeto aplicando conhecimentos da educação musical junto às crianças do CMEI. Além disso, o trabalho de extensão resultou também na publicação de artigos científicos com foco na relação entre música e educação infantil.

Saiba mais sobre esse projeto bacana na matéria no site: http://bit.ly/2wukaJ3

Imagem 9

Post 9 da campanha Sou IFG

 

O Arquivodoc é uma ferramenta criada para arquivamento e compartilhamento de documentos digitais em ambientes corporativos. Se você é um pesquisador ou se o seu trabalho exige uma ferramenta desse tipo, o Arquivodoc oferece essas funcionalidades gratuitamente e com espaço ilimitado. 

Ele pode ser acessado de qualquer plataforma e evita que o usuário perca parte ou a totalidade de seus arquivos devido à incompatibilidade de linguagem tecnológica. 

O Arquivodoc nasceu de um estudo realizado por pesquisadores do Câmpus Goiânia. Para saber mais, basta acessar a notícia: http://bit.ly/2YNgnmi

Imagem 8

Post 8 da campanha Sou IFG

Conhece a biblioteca Professor Jorge Félix de Souza do Câmpus Goiânia do IFG?!? É um espaço voltado para leituras, pesquisas, estudos individuais ou em grupos e com rico acervo de 20.983 títulos de livros, com empréstimo destinado a alunos e servidores do IFG e consulta aberta à comunidade externa.

Além disso, nossa biblioteca conta ainda com exemplares de CDs, DVDs, revistas, periódicos e jornal. Um espaço totalmente dedicado à leitura e que vale a pena visitar e desfrutar!
Quer conhecer o acervo disponível na biblioteca do Câmpus Goiânia? Consulte o Sistema Integrado de Bibliotecas (Sibi) do IFG pelo site: biblioteca.ifg.edu.br

Saiba mais sobre nossa biblioteca na matéria: http://bit.ly/2QunBZn

Imagem 7

Ver os planetas, a Lua e as estrelas é um sonho para muita gente. E aqui no Câmpus Goiânia, observar os astros é uma rotina, graças às atividades do Clube de Astronomia Vera Rubim, formado por estudantes da Licenciatura em Física da Instituição.

O grupo disponibiliza o telescópio do câmpus para a comunidade poder contemplar o céu noturno. A experiência é guiada pelos estudantes, que falam sobre os planetas e ainda explicam sobre a dinâmica do telescópio.

Durante a 3ª edição da Secitec do Câmpus Goiânia, os estudantes realizaram uma observação do céu voltada para crianças. Na oportunidade, o grupo também ensinou com fazer um telescópio refrator com duas lentes, utilizando canos de PVC, além de expor imagens dos corpos celestiais.

Saiba mais na página: http://bit.ly/2EtuRju

 

Imagem 6

Post 6

Tecnologias de ponta são cada vez mais aplicadas na agricultura de precisão. E sobre inovações tecnológicas para o campo, pesquisadores do curso de Engenharia Cartográfica e de Agrimensura, ofertado no Câmpus Goiânia do IFG, desenvolveram estudos utilizando RPAS (Sistema de Aeronave Remotamente Pilotado), ou mais conhecido como drone, para a coleta de dados georreferenciados em uma lavoura de soja em Goianápolis (GO), no ano de 2018. 

O uso de RPAS na agricultura beneficia o produtor rural ao conferir uma maior precisão, agilidade e eficácia no mapeamento das condições de cultivo do imóvel rural. É a pesquisa contribuindo para a agricultura!

Saiba mais sobre esse estudo no site:http://bit.ly/2EqG5p4

 

Imagem 5

 

Alunos do curso de Engenharia de Controle e Automação do IFG – Câmpus Goiânia mostraram em sua pesquisa que tecnologia e inovação podem ser, sim, acessíveis! Com o auxílio dos professores da área, eles construíram um manipulador robótico, também chamado de “braço robótico”.

Com criatividade, pesquisa e conhecimento, os estudantes executaram o projeto com recursos em torno de R$ 2 a 3 mil reais. O manipulador robótico possui uma garra capaz de segurar objetos que tenham determinado diâmetro e formato. O manipulador robótico executa cinco tipos de movimentos diferentes e pode ser aplicado em ambientes industrial ou comercial, para o manuseio de objetos de pequeno e médio porte.

Saiba mais: http://bit.ly/2YIeG9L

Imagem 4

Na formação de futuros professores, especialmente na licenciatura em Letras – Língua Portuguesa ofertada no Câmpus Goiânia do IFG, os estudantes são incentivados a aprender conteúdos referentes às culturas afro-brasileira e indígena em consonância à legislação educacional vigente, que dispõe sobre o ensino das histórias e das culturas afro-brasileira e indígena nos currículos das escolas públicas e privadas da educação básica.

Para saber mais sobre essa ação de ensino, confira a matéria no site: http://bit.ly/30pxcW2

Imagem 3

Post 3 da Campanha Sou IFG Câmpus Goiânia

O IFG – Câmpus Goiânia conta com dois cursos na área de Transportes: Engenharia de Transportes e o curso técnico EJA em Transporte Rodoviário. Alunos desses cursos foram falar com a população e realizaram estudo para verificar a qualidade do transporte público ofertado na região metropolitana de Goiânia. 

A pesquisa revelou que a falta de informações sobre horários e itinerários das linhas; problemas relacionados à distribuição dos ônibus; falta de manutenção de vias e de terminais são questões que impactam negativamente no serviço de transporte público ofertado em Goiânia e região. Para mais detalhes sobre o assunto, acesse a matéria: http://bit.ly/2JqiZmz 

Imagem 2

Post 2 da Campanha Sou IFG do Câmpus Goiânia

O projeto “Acolher, ensinar e aprender: português para imigrantes em situação de vulnerabilidade” ofertou aulas de Língua Portuguesa a haitianos refugiados em Goiânia. A iniciativa, realizada pelo IFG – Câmpus Goiânia, conta com a participação de professores e alunos do curso de Licenciatura em Letras da unidade. Ao todo, 60 haitianos participaram da primeira edição do projeto. A ideia é ensinar a língua local para os refugiados, possibilitando que eles consigam mais autonomia em busca de novas oportunidades de vida.

O projeto também estimulou a criação do Vestibular IFG para refugiados. Em seu primeiro processo seletivo, foram ofertadas 49 vagas em cursos superiores do IFG para pessoas com status de refugiado reconhecido no Brasil. Para saber mais sobre o projeto, acesse a matéria na nossa página: http://bit.ly/2EdPz6K

Imagem 1

Pesquisa do IFG, em parceria com a Universidade Federal de Goiás e com a GIZ, agência de pesquisa alemã, realiza testes em reator para produção de energia limpa e renovável, conhecida como biogás, a partir de matéria-prima proveniente da agricultura.

Por meio do reator, é possível gerar energia utilizando o subproduto da moagem da cana-de-açúcar (a torta de filtro), além de matérias como esterco bovino e de outros animais. Essa energia pode ser usada para aquecer água, aquecimento, iluminação ou geração de gás para cozinha. Confira mais detalhes sobre o estudo: http://bit.ly/2vUbwU6

 

Coordenação de Comunicação Social do Câmpus Goiânia

Fim do conteúdo da página