Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
História do IFG

História do IFG

  • Criado: Terça, 25 de Setembro de 2018, 10h26
  • Última atualização em Terça, 25 de Setembro de 2018, 17h00

A história do Instituto Federal de Goiás é longa e bastante significativa. Ela teve início no século passado, no dia 23 de setembro de 1909, há 109 anos, quando, por meio do Decreto n.º 7.566, o então presidente Nilo Peçanha criou 19 Escolas de Aprendizes Artífices, uma em cada Estado do País. Em Goiás, a Escola foi criada na antiga capital do Estado, Vila Boa, atualmente cidade de Goiás. Na época, o objetivo era capacitar os alunos em cursos e oficinas de forjas e serralheria, sapataria, alfaiataria, marcenaria e empalhação, selaria e correaria.

Em 1942, com a construção de Goiânia, a escola foi transferida para a nova capital, transformando-se em palco do primeiro batismo cultural da cidade. À época, a Instituição recebeu o nome de Escola Técnica de Goiânia e contou com a criação de cursos técnicos na área industrial, integrados ao ensino médio, por meio do Decreto-lei n.º 4.127, de 25 de fevereiro de 1942.

Com a Lei n.º 3.552, em 1959, a Instituição alcançou a condição de autarquia federal, adquirindo autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar, recebendo a denominação de Escola Técnica Federal de Goiás (ETFG), em agosto de 1965 (Lei nº 4.759, de 20 de agosto de 1965).

No final dos anos 80, mais precisamente em 1988, a Escola Técnica Federal de Goiás ampliou sua presença no Estado, com a criação da Unidade de Ensino Descentralizada (Uned) de Jataí, hoje denominada Câmpus Jataí.

Por meio do Decreto sem número de 22 de março de 1999, a Escola Técnica Federal de Goiás foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (Cefet-GO), uma instituição de ensino superior pública e gratuita, especializada na oferta de educação tecnológica em diferentes níveis e modalidades de ensino, com prioridade na área tecnológica. A partir daí a Instituição recebeu autorização para ofertar cursos superiores.

Em 29 de dezembro de 2008, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, autarquia federal de regime especial vinculada ao Ministério da Educação, foi criado por meio da Lei nº 11.892, atendendo a uma proposta do governo federal, que desde 2003 editava novas medidas para a educação profissional e tecnológica.

Articulando educação superior, básica e profissional, pluricurricular e multicâmpus, o IFG atualmente é uma instituição equiparada às universidades federais. Com cursos técnicos integrados ao ensino médio, técnicos subsequentes ao ensino médio; cursos superiores tecnológicos, bacharelados, licenciaturas; e cursos de pós-graduação, a Instituição é especializada na oferta de educação profissional e tecnológica, atendendo também ao público de jovens e adultos, por meio do EJA.

Atualmente, o IFG atende mais de 13 mil alunos nos seus 14 câmpus em funcionamento: Anápolis, Formosa, Goiânia, Inhumas, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Uruaçu, Aparecida de Goiânia, Cidade de Goiás, Águas Lindas, Goiânia Oeste, Senador Canedo e Valparaíso.

Fim do conteúdo da página