Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Lab IFMaker

IFG deve implantar 12 laboratórios de ensino, pesquisa, extensão e inovação

Primeiro edital previu recursos para instalações físicas e fez uma seleção prévia de acordo com edital nacional

  • Criado: Quinta, 02 de Julho de 2020, 09h19
  • Última atualização em Terça, 21 de Julho de 2020, 16h31
Um dos espaços do Lab IF Maker em Uruaçu
Um dos espaços do Lab IF Maker em Uruaçu

Resultado da chamada pública realizada pelo Instituto Federal de Goiás (IFG), na última semana, selecionou previamente dois câmpus da Instituição que devem receber recursos para implantação dos chamados laboratórios IF Maker (Lab IF Maker). Os projetos dos câmpus Itumbiara e Uruaçu foram classificados internamente e agora serão encaminhados para aprovação da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC), por meio de edital nacional. A chamada pública visa atender 41 instituições da Rede Federal com a construção de cerca de 113 laboratórios de prototipagem em todo o país (fase1 do projeto) e a ampliação de outros 60 laboratórios (fase 2).

Mais nove câmpus que participaram da chamada do IFG também tiveram seus projetos classificados, mas com previsão de que os recursos para financiamento deles sejam oriundos da própria instituição. São eles: câmpus Goiânia, Inhumas, Valparaíso, Jataí, Formosa, Luziânia, Senador Canedo, Anápolis e Goiás.

Na cidade de Goiânia também está prevista a instalação de mais um Lab IF Maker, mas de caráter institucional e cuja atuação ultrapasse o objetivo de ser um laboratório de prototipagem. Ele estará vinculado ao Centro de Referência em Pesquisa e Inovação (CiteLab), sob gestão da Reitoria, por meio da sua Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação. O diretor de Pesquisa e Inovação do IFG, uma das pastas envolvidas no Lab IF Maker, Thiago Eduardo Pereira Alves, ressalta que este laboratório da capital será multicâmpus e multiusuário, foi aprovado pelo Colégio de Dirigentes, e atenderá às pesquisas de toda a Instituição e de parceiros, portanto, terá uma atuação ampliada.

Nesta primeira etapa está prevista a compra de equipamentos e materiais, para instalações físicas dos Lab IF Maker e, em 2021, uma segunda fase para ampliação. Pelo edital da Setec, já no final do mês de julho (dia 31) deve ser publicado o resultado final em âmbito nacional e o repasse de recursos para os institutos federais deve ocorrer em 24 de agosto.

Os Lab IF Maker

São concebidos como espaços para fortalecimento da cultura learning by doing (aprender fazendo), onde serão desenvolvidos projetos interligando diferentes áreas do conhecimento, relacionadas à atuação dos câmpus selecionados. Envolve ainda ações dos eixos finalísticas da Instituição: ensino, pesquisa e extensão.

O espaço do Lab IFMaker tem como objetivo disseminar princípios que norteiam o ensino Maker. Isso significa também desenvolver atividades por meio da Aprendizagem Baseada em Projetos, que é um tipo de metodologia em que o estudante é o centro, ele é o principal protagonista dentro do processo de ensino-aprendizagem. Além de o estudante conduzir o processo, com orientação, os temas a serem desenvolvidos precisam atender às necessidades da comunidade onde os câmpus estão inseridos. Entre os objetivos desses espaços estão o incentivo aos servidores e estudantes para desenvolvimento de projetos interdisciplinares, estímulo ao desenvolvimento de ensino, pesquisa aplicada e inovação, para atender demandas da sociedade, além de ser um laboratório criativo, para troca de conhecimento e ideias entre diversas áreas.  

Classificados

O projeto de Itumbiara, por exemplo, prevê a implantação do laboratório em uma sala 57,8 metros quadrados (m²) com toda a infraestrutura de internet, cabos e rede instaladas; mesas de prototipagem, bancada com circuitos eletrônicos, bancada para impressora 3D e mobiliário. Os recursos previstos nesta primeira fase são da ordem de R$ 82,8 mil para compra de equipamentos e materiais. Para desenvolver atividades no laboratório, uma equipe do câmpus ficará disponível 4 horas semanais para desempenhar ações de ensino, orientações, capacitação e a gestão do espaço. Nesse primeiro edital, o Câmpus Itumbiara previu a compra de impressora e caneta 3D, notebook, smart TV, kit robótica, projetor multimídia, scanner 3D, lixadeira orbital e ferramentas.

Pelo projeto, a proposta de laboratório maker no Câmpus Itumbiara tem como “um dos seus motivadores centrais a construção de um ambiente fértil ao desenvolvimento de ideias e soluções para ensino, pesquisa e extensão de tecnologias para a crescente Indústria 4.0, com foco na integração dos alunos, servidores, docentes e comunidade”. A equipe gestora no câmpus é composta pelos professores Marcelo Escobar de Oliveira, Bruno Gabriel Gustavo Leonardo Zambolini Vicente, Ghunter Paulo Viajante, Giovani Aud Lourenço e Josemar Alves dos Santos Junior.

Em Uruaçu, o laboratório terá espaço de dois ambientes do câmpus, cada um deles com 54,75 m². Um deles possui bancada, quadro, projetor multimídia e mobiliário para armazenar os equipamentos a serem adquiridos. O outro possui toda infraestrutura de rede e cabeamento elétrico. Segundo o projeto do câmpus, o Lab IF maker proporcionará a integração também com o Instituto Federal Goiano - câmpus Ceres e Campos Belos, com a Universidade Estadual de Goiás - Unidade Universitária de Ceres, Goianésia, Niquelândia, Uruaçu e Porangatu.

Outras perspectivas em Uruaçu são as ofertas de oficinas de Invenções, Ambiente de Criação e Formação Pedagógica, Cartografias, Produção de Equipamentos de Proteção Individual e Coletivos, pesquisas científicas e eventos Mini-Makers (destinados a crianças e adolescentes). Inicialmente, as ações de implantação do Lab IF Maker Uruaçu integrarão as áreas de conhecimento ciências exatas e da terra, ciências biológicas, ciências humanas e engenharias, que são relacionadas aos eixos desenvolvidos pelo câmpus. O projeto está sendo conduzido pelos professores Alessandro Siqueira e Renatha Cândida da Cruz.

Os demais projetos, que possivelmente serão concebidos com recursos próprios do IFG, possuem a infraestrutura e objetivos semelhantes aos de Uruaçu e Itumbiara,  por cumprirem os requisitos da chamada nacional, e previsão de compra materiais de acordo com cada área de atuação.

Acesse mais informações do edital no IFG.

Acesse a chamada pública da Setec/MEC.

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

 

 

Fim do conteúdo da página