Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Etapa do LAPASSION@Goiânia é encerrada com apresentação virtual
Início do conteúdo da página
Lapassion

Etapa do LAPASSION@Goiânia é encerrada com apresentação virtual

Depois de 10 semanas, participantes apresentaram soluções para os desafios propostos ao longo do projeto, no Demoday virtual

  • Criado: Quinta, 14 de Maio de 2020, 16h20
  • Última atualização em Terça, 09 de Junho de 2020, 17h23
Etapa de desenvolvimento do LAPASSION@Goiânia é encerrada com evento virtual
Etapa de desenvolvimento do LAPASSION@Goiânia é encerrada com evento virtual

Nesta quinta-feira, 14 de maio, foi realizado o encerramento das atividades de desenvolvimento da etapa do projeto LAPASSION@Goiânia. Promovida pelo Instituto Federal de Goiás (IFG), essa fase do projeto começou no dia 9 de março, no Câmpus Goiânia, e culminou com a apresentação de soluções para os desafios propostos aos 5 times de estudantes participantes do projeto, no Demoday. Esse evento, que foi transmitido on-line, reuniu estudantes, professores, servidores, gestores do IFG e de outras instituições. Ao todo, foram 10 semanas de pesquisa e desenvolvimento de projetos relacionados à sustentabilidade, acessibilidade e energia. Ao longo desse tempo, participaram do projeto LAPASSION@Goiânia tanto alunos do IFG quanto discentes de outras instituições.

 

 

Demoday Virtual

No evento virtual, realizado por meio da plataforma Google Meets, os estudantes tiveram a chance de expor o resultado de suas pesquisas. Além de discentes, tutores e servidores do IFG, participaram do Demoday o reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues da Silva; o secretário de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) do Ministério da Educação (MEC), Ariosto Culau; o professor do Instituto Politécnico do Porto (IPP) e coordenador-geral do projeto Lapassion, Carlos Ramos; o coordenador do Lapassion no âmbito do IFG, professor Ruberley Rodrigues da Silva.

Prestigiaram também o Demoday os pró-reitores Amaury França (Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos); Paulo Francinete (Pesquisa e Pós-Graduação); e Daniel Barbosa (Extensão) e a diretora executiva do IFG, professora Adriana Reis. Gestores de outras instituições e órgãos governamentais também participaram do evento virtual, como o reitor do Instituto Federal Goiano, professor Elias de Pádua Monteiro; o deputado estadual Francisco Grimaldi de Lima; o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia de Goiânia, Walison Moreira; o analista educacional da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Senador Canedo, Victor Marques Mendonça; o gerente de Educação para o Trânsito da Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes de Senador Canedo, Pedro Henrique dos Santos; o CEO da empresa Viva Bem com o que Você Tem, César Augusto Nogueira Jahnecke; o diretor comercial da Ecológica, Helton Inumaru; e o gerente de meio ambiente corporativo da Laticínios Bela Vista, Jefferson Dias de Araújo.

 

Projetos e desenvolvimento on-line

O coordenador do projeto LAPASSION@Goiânia, professor Ruberley Rodrigues de Souza, após apresentar um histórico sobre como as atividades foram desenvolvidas no IFG, destacou em sua fala que os projetos dos alunos foram excelentes. Ao apresentar um panorama a respeito das atividades realizadas, o docente destacou a suspensão das atividades presenciais na Instituição, devido à pandemia da Covid-19, e ressaltou que, mesmo diante das adversidades, os alunos continuaram os trabalhos de desenvolvimento dos projetos de forma on-line, utilizando para tal diversas plataformas. Como pontuou o docente, “mesmo com os problemas, os alunos apresentaram projetos que surpreenderam todos os envolvidos, devido à excelência dos trabalhos realizados.”

Para o reitor do IFG, professor Jerônimo, a experiência exitosa da Instituição abre caminho para a possibilidade de que outras instituições da Rede Federal participem de projetos como o realizado no IFG. Como destacou o docente, essa etapa de desenvolvimento foi muito diferente do que havia sido pensado, mas teve um resultado muito positivo. “Depois de ter iniciado com uma proposta presencial, terminamos de uma forma completamente diferente. E chegamos à etapa final do projeto de um modo que abre portas para que possamos contribuir de formas diferentes para os problemas reais, com práticas voltadas à inovação, à sustentabilidade, tendo em vista soluções práticas, formuladas por nossos alunos”, ressaltou o reitor.

Ariosto Culau, secretário da SETEC, falou da importância de investir nos discentes, a fim de criar soluções para os problemas da sociedade: “o investimento nos estudantes é fundamental, para que eles criem soluções, não só para o setor produtivo, mas para todos os setores sociais.” E foi isso que os alunos envolvidos nos projetos buscaram fazer, ao longo do período de 10 semanas de desenvolvimento de suas pesquisas.  

 

Apresentações

Os estudantes e tutores que participaram da etapa Goiânia do projeto Lapassion trabalharam praticamente apenas uma semana juntos, uma vez que depois tiveram que se separar, devido à pandemia do coronavírus. Sem deixar o projeto parar e dando continuidade às pesquisas de forma on-line, o grupo se reuniu virtualmente em vários momentos tendo um objetivo em mente: pensar soluções práticas para problemas reais. Assim, os estudantes, divididos em cinco equipes, elaboraram projetos multidisciplinares a partir do tema “Como contribuir para uma sociedade inclusiva e sustentável”.

O time 1, conhecido como “Five Fingers”, teve seu desafio apresentado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia de Goiânia. Os alunos foram convidados a pensar a respeito da “utilização de dispositivos que conduzam o cidadão à prática de exercícios físicos e gerem energia elétrica a partir de movimentos corporais”.

Com essa questão em mente, o grupo apresentou em sua solução final um protótipo de uma bicicleta geradora de energia e um aplicativo para premiar os usuários que mais gerarem energia elétrica. O aluno Gustavo de Souza Ferreira, do curso de Engenharia elétrica, do Câmpus Itumbiara (IFG), fez a apresentação em português a respeito da solução encontrada pelo grupo. Logo em seguida, o estudante Maxmiliano Frey Moreno, do curso Engenharia Industrial e Tecnologias da Informação, da PUC-Chile, fez a apresentação em inglês. O arquivo com detalhes sobre a apresentação do grupo pode ser acessado aqui.

 

O time 2, “2gether”, apresentou as soluções finais para o desafio “Utilização de tecnologias para melhorar a mobilidade urbana de pessoas com necessidades específicas”, que foi proposto pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas de Goiânia, em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura e Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes de Senador Canedo.

Foram responsáveis pela apresentação os estudantes Beatriz Torezani Sacramento, do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental, do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), e Nelson Rodrigues Silva, do curso de Engenharia Elétrica, do Câmpus Itumbiara (IFG). Em seguida, os estudantes Ademar Batista Lopes Santos, do curso Licenciatura em Letras – Português, do Câmpus Goiânia (IFG) e Carla Patrícia Correia da Silva, discente do curso de Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial do Instituto Politécnico do Porto (IPP), fizeram a apresentação em inglês. O time em questão apresentou uma proposta de reestruturação da Rua Ademar de Barros, em Senador Canedo, com o objetivo de atender pessoas com deficiência visual, com foco, principalmente, nas funcionalidades dos pontos de ônibus. O projeto elaborado pelos estudantes pode ser conferido aqui.

 

Para o time 3, denominado “The Switchers”, foi proposto o desafio: “Desenvolver soluções sustentáveis que propiciem a melhoria da mobilidade urbana em Senador Canedo, favorecendo o turismo e lazer”. A atividade foi sugerida pela Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes de Senador Canedo. E o estudante Sandro Alves Ribeiro, do curso de Licenciatura em História do Câmpus Goiânia, ficou responsável por fazer a apresentação em português. João Matos Guimarães, discente do curso de mestrado em Engenharia de Computação e Instrumentação Médica do IPP, por sua vez, fez a apresentação em inglês.

Como resposta ao desafio, o time The Switchers apresentou uma proposta de inclusão de uma aba, sobre turismo e lazer, no site da Prefeitura de Senador Canedo, incluindo uma proposta de placas de sinalização para os lugares turísticos, de forma a potencializar essa atividade na cidade. Mais informações sobre o problema e a solução apresentada pela equipe podem ser vistas aqui.

 

O time 4, intitulado “4Eyes”, apresentou as soluções finais para o desafio: “Utilização de logística reversa dos resíduos pós-consumo de uma empresa de laticínios”, proposta pela empresa Laticínios Bela Vista. João Eduardo Marques Costa, aluno do curso de Engenharia de Controle e Automação, do Câmpus Itumbiara, fez a apresentação em português. Em seguida, a estudante Carolina Iglesias, do curso de Design Industrial, da instituição chilena DUOC, fez a apresentação em inglês.

A equipe 4Eyes apresentou uma proposta de uma campanha de conscientização sobre a reciclagem de embalagens Tetra Pak, informando como deve ser a lavagem das embalagens, pontos de coleta, além da inclusão, na própria embalagem, de uma mensagem chamando a atenção do consumidor sobre a importância da reciclagem. A proposta da equipe pode ser acessada aqui.

 

Apresentado pela empresa Ecológica e Viva Bem com o que Você Tem, o time 5 teve como desafio o questionamento: “Como realizar uma cultura sustentável de suínos e aves com enfoque na produção sustentável de energia elétrica e sustentabilidade ambiental”. A apresentação em português da solução foi conduzida pela estudante Larissa de Oliveira Aragão, do curso de Gestão Ambiental, do IFRJ. Em seguida, a estudante Uranía Donoso Guzman, de Engenharia Civil, da PUC-Chile, fez a apresentação em inglês.

A equipe, como resposta ao desafio apresentado, propôs a utilização de um biodigestor para gerar energia elétrica a um poço canadense. Este, de acordo com a proposta, seria utilizado para prover conforto térmico aos animais. Todo o percurso da pesquisa foi documentado no blog do grupo, que pode ser acessado aqui.

 

Pesquisa, inovação e sustentabilidade

De acordo com o site do projeto, o Lapassion não é realizado com o objetivo de apenas criar novos negócios, uma nova empresa ou uma subsidiária, como é feito nas incubadoras, mas tem o objetivo de aprofundar a preparação de alunos para empresas ou organizações existentes voltadas para mercados globais, o que oferece a capacidade de inovação nesse contexto.  Desse modo, um dos objetivos é treinar os alunos no desenvolvimento de projetos do mundo real, com a necessidade de cooperar com outros estudantes de diferentes áreas e países, criando um ambiente para lidar com o aprendizado de habilidades sociais e inovar e responder às necessidades de empresas e outras organizações.

Para o professor Carlos Ramos, que participou da apresentação dos alunos, os resultados obtidos pelos estudantes, durante o período de desenvolvimento dos projetos, foram muito bons: “mesmo com as limitações que o desenvolvimento on-line implica, os estudantes conseguiram resultados fantásticos em suas pesquisas, por essa razão é muito importante dar continuidade a esses projetos e a esse tipo de atividade; é essencial continuar.”

No final do evento, foi exibido um vídeo produzido pela servidora do Câmpus Goiânia, Anna Carolina Porto, que apresentou fotos que resumem um pouco do que foi o desenvolvimento do Projeto Lapassion Goiânia nessas 10 semanas. Acesse o vídeo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=V0bK8FiCm64&feature=youtu.be

 

Projeto Lapassion

O Projeto Lapassion (Latin America Practices and Soft Skills for an Innovation Oriented Network) é um projeto do programa Erasmus +, dentro da linha “Cooperação para inovação e intercâmbio de boas práticas – Capacitação no campo do Ensino Superior”. Elaborado por um consórcio de 13 instituições de ensino superior, o Projeto Lapassion conta com cinco instituições brasileiras: IFG; Instituto Federal do Amazonas (IFAM); Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM); Instituto Federal do Maranhão (IFMA); e Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul); duas chilenas (Fundação do Instituto Profissional – DUOC; Pontifícia Universidade Católica do Chile – PUC); duas uruguaias (Universidade Tecnológica do Uruguai – UTEC; Universidade da República do Uruguai – UDELAR); uma portuguesa (Instituto Politécnico do Porto – IPP); duas espanholas (Universidade de Vigo – UVIGO; e Universidade de Salamanca – USal); e uma finlandesa (Universidade de Ciências Aplicadas de Tampere – TAMK). Participam também do consórcio duas associações: Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e Associação de Empresas de Portugal (AEP).

 

Conheça o site do LAPASSION@Goiânia: http://eventos.ifg.edu.br/lapassion/

 

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

 

 

 

Fim do conteúdo da página