Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Dia da Consciência Negra no IFG Câmpus Valparaíso. Venha participar!
Início do conteúdo da página
Ação

Dia da Consciência Negra no IFG Câmpus Valparaíso. Venha participar!

Criado: Segunda, 18 de Novembro de 2019, 18h48 | Última atualização em Terça, 19 de Novembro de 2019, 18h47

Dia da Consciência Negra: 20 de novembro

imagem sem descrição.

Na próxima quarta-feira,20, será realizado o Dia da Consciência Negra no IFG Câmpus Valparaíso. O evento é direcionado para os alunos do Câmpus e acontecerá das 14h às 17h, com uma programação variada. Às 14h haverá a roda de conversa: “O impacto do racismo na saúde mental da comunidade negra”, com o psicólogo Luciano Sá. Logo depois, o cine-debate: “O perigo de uma história única” e, para finalizar: confecção de cartazes pelos estudantes. Não deixe de participar! Venha!

 

Organizadores do evento: Ana Elizabete Barreira Machado, Jaciara Cristina Pereira de Souza, Josineide Camilo Freitas, Luiz Fernando Ferreira Machado, Marcella Suarez di Santo, Michele dos Passos Nascimento.

 

Sobre a importância da ação, Jaciara (da equipe de organização) conta: “O Dia da Consciência Negra é comemorado no dia 20 de novembro. A data faz menção ao dia da morte de um dos maiores líderes antiescravagistas e de resistência negra, 131 anos após a abolição, as estatísticas denunciam: historicamente, a relação dispare entre brancos e negros na sociedade brasileira. A questão racial não é pauta a ser tratada exclusivamente no dia 20 de novembro, mas deve ser amplamente discutida em todo o tempo, nos diferentes espaços sociais sobretudo na escola”.

 

Cine-debate
A professora da área de Educação Marcella Suarez conta o porquê da escolha do tema “O perigo de uma história única” para o cine-debate, no qual será apresentando um vídeo com depoimento de Chimamanda Ngozi Adichie, uma feminista e escritora nigeriana. “Precisamos conhecer mais sobre a história afrobrasileira, sobre culturas, línguas e vidas nos diferentes países da África. África como continente possui tantas especificidades e, o principal perigo de uma história única, é limitar a nossa experiência pela história estereotipada que alguém contou”, destaca a professora.

 


Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Valparaíso

Fim do conteúdo da página